São Paulo sofre e é vaiado, mas vence e reassume topo do Paulistão

Equipe de Ney Franco, que foi chamado de 'burro' pela torcida, faz 3 a 2 no Oeste

JOSÉ ROBERTO GOMES, Agência Estado

17 de março de 2013 | 18h21

SÃO PAULO - Mesmo com o retorno de Luis Fabiano, que cumpriu suspensão na Libertadores na quinta-feira, e a estreia de Wallyson como titular, o São Paulo precisou de um pouco de sorte para vencer o Oeste por 3 a 2, neste domingo, no Estádio do Morumbi, pela 12.ª rodada do Campeonato Paulista.

Não que a equipe da capital não tenha dominado a partida. O time teve mais chances de gols e maior posse de bola, mas apresentou falhas graves na defesa. O setor merece a atenção do técnico Ney Franco, que aproveita as partidas do Paulistão para acertar o elenco que vem tropeçando na Libertadores.

A insatisfação da torcida com relação ao andamento do clube ficou evidente antes do início do jogo. Torcedores, em frente ao portão principal do estádio, empunhavam cartazes com a pergunta: "Cadê o esquema tático?". Ao final da disputa, vaias indicavam que, apesar da vitória, Ney Franco ainda terá muito trabalho pela frente.

Com 26 pontos, o São Paulo reassumiu a liderança do Paulistão, perdida no sábado para o Santos. O Oeste, por sua vez, segue com 14 pontos, na zona intermediária da tabela. Na próxima rodada do Paulistão, o São Paulo enfrenta o São Bernardo, na quarta-feira. Já o Oeste, também na quarta, recebe o Bragantino.

O JOGO

Desde o início, o São Paulo partiu para o ataque. Em menos de três minutos, Jailson teve de se desdobrar para evitar que Wallyson e Rodrigo Caio abrissem o placar no Morumbi. No entanto, a pressão acabou surtindo efeito. Aos 17 minutos, Ademilson aproveitou uma sobra dentro da grande área e tocou rasteiro para Edson Silva marcar.

O gol deu tranquilidade ao São Paulo, que mudou de postura. Se antes o objetivo era abrir logo o placar, agora a prioridade era administrar o resultado. Menos ofensiva, a equipe da capital só conseguiu ampliar o marcador graças a uma cobrança de falta de Jadson, aos 30 minutos. A bola encontrou a cabeça de Rafael Tolói, que subiu mais que a zaga e testou para as redes.

Diminuindo o ritmo de jogo, o São Paulo permitiu que o Oeste crescesse nos minutos finais - e escancarasse falhas graves na zaga tricolor. Por diversas vezes, Rogério Ceni teve de se esticar para defender sua meta. Mas, nos acréscimos, não teve chances de segurar o desvio de cabeça de Ligger, que diminuiu a vantagem da equipe de Ney Franco. Fim do primeiro tempo, 2 a 1 para o São Paulo.

Na volta dos vestiários, o que se viu foi um jogo movimentado no meio de campo. Ambas as equipes tinham dificuldades de chegar ao gol adversário, propiciando finalizações de longe. Numa dessas, o Oeste quase empatou a partida com um chute rasteiro de Serginho, que passou bem próximo da trave.

Mas eis que surgiu Luis Fabiano. O camisa 9 cumpriu suspensão contra o Arsenal de Sarandí, pela Libertadores, e voltou a campo pelo São Paulo justamente neste domingo. No primeiro tempo, teve dificuldades de ser efetivo por conta da marcação cerrada. Mas, no segundo, teve a chance que queria. Aos 24 minutos, recebeu passe na medida de Douglas. Da entrada da área, dominou e finalizou com precisão.

O gol de Luis Fabiano, contudo, foi apagado por mais um erro do São Paulo, menos de dez minutos depois. Rogério Ceni errou na saída de bola e permitiu que Serginho chegasse em velocidade. O atacante tocou para Wanderson, que, livre, fez o segundo gol do Oeste.

Para evitar qualquer surpresa, o São Paulo voltou a administrar o resultado, enquanto o Oeste tentava arrancar o empate, mas sem sucesso.

SÃO PAULO 3 X 2 OESTE

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Edson Silva, Rafael Tolói, Rodrigo Caio e Thiago Carleto; Wellington (Douglas), Denilson, Jadson (Cañete) e Wallyson (Aloísio); Ademilson e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco

OESTE - Jailson; Dedê, Antônio Carlos e Dezinho (Marcinho Beija-Flor); Fernandes, Leandro Teixeira, Ligger, Wanderson e Hudson (Vitinho); Lelê (Gilmar) e Serginho. Técnico: Roberto Cavaloque.

GOL - Edson Silva, aos 17, Rafael Tolói, aos 30, e Ligger, aos 45 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano, aos 24, e Wanderson, aos 31 do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo César de Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Wellington, Hudson, Dezinho, Rodrigo Caio e Denílson.

RENDA - R$ 211.135,00.

PÚBLICO - 7.881 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoSão Paulo FCOeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.