São Paulo sofre no Chile, mas faz 4 a 3 e avança na Sul-Americana

Pela soma dos placares, o time brasileiro termina o confronto com marcador agregado de 5 a 4

Felipe Rosa Mendes, Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 00h06

SÃO PAULO - O São Paulo tirou um grande peso das costas nesta quarta-feira ao conquistar boa vitória de virada sobre o Universidad Católica em Santiago, no Chile. Com atuações decisivas de Rogério Ceni e Aloísio, o atual campeão da Copa Sul-Americana venceu os donos da casa por 4 a 3 e garantiu vaga nas quartas de final. Pela soma do placar do jogo de ida, finalizado em 1 a 1, o time brasileiro terminou o confronto com o marcador agregado de 5 a 4.

O JOGO

São Paulo e Universidad Católica fizeram um primeiro tempo eletrizante. Mesmo com a vantagem de jogar pelo empate sem gols, o time chileno foi para cima e não deu sossego à zaga são-paulina. Foram duas boas chances de gol em apenas dez minutos de jogo. Rogério Ceni, seguro, garantia o placar inalterado.

Mais contido, o São Paulo atacava pontualmente porque dava maior atenção à defesa. Aos 12, Aloísio criou a primeira chance do time brasileiro ao acertar o travessão. A resposta dos anfitriões foi contundente. Aos 16, Costa avançou pela esquerda, entrou na área e viu Rafael Toloi sair em falso para conclusão de Sosa para as redes: 1 a 0. A empolgada torcida chilena, contudo, teve pouco tempo para comemorar. Dois minutos depois do gol de Sosa, Aloísio recebeu dentro da área, girou sobre a marcação e bateu na saída do goleiro Toselli. Era o primeiro empate da partida.

A festa no banco do São Paulo durou quatro minutos. Foi o tempo que a Universidad Católica levou para marcar o segundo. O lance do gol teve início em escorregada de Douglas, que gerou contra-ataque e culminou em finalização certeira de Cordero. Apenas um minuto separou o segundo gol dos chilenos do novo empate brasileiro. Aos 23, o inspirado Aloísio tabelou com Ganso e recebeu enfiada pela direita. O atacante entrou na área e bateu mais uma vez na saída do goleiro: 2 a 2.

Com este placar, a situação dos dois times se invertia e colocava o São Paulo em vantagem, por ter feito mais gols fora de casa. A Universidad Católica, então, passou a buscar mais o ataque. E o São Paulo abdicou do jogo. Resumiu sua atuação à ação defensiva. O time da casa tentou aproveitar o momento favorável e cresceu em campo. Foi quando a estrela de Rogério Ceni brilhou. O goleiro fez defesa espetacular aos 42 ao se esticar na pequena área para evitar gol de Costa. Momentos antes, contou com a sorte ao ver bola de Castillo morrer no pé da trave e voltar em suas mãos. Em outro lance, Maicon fez o desvio na linha.

Após levar sufoco no fim da etapa inicial, o São Paulo voltou melhor para o segundo tempo. A partir da entrada de Wellington, na vaga de Denilson, o time mostrou maior consistência na defesa e ganhou volume no meio-campo. Aos poucos, abandonou a postura defensiva e equilibrou a partida. O resultado foi o terceiro gol do São Paulo. Aloísio deixou a posição de artilheiro para dar passe para Ademilson, em posição irregular, receber enfiada pela esquerda e bater de cobertura. Toselli não alcançou e viu a bola morrer nas redes, aos 19 minutos.

Enquanto o São Paulo voltava a se arriscar no ataque, Rogério Ceni seguia empilhando grandes defesas. O goleiro salvou seu time aos 5, à queima-roupa, e aos 27, em chute forte de Costa. Ceni, no entanto, não conseguiu defender o pênalti convertido por Mirosevic, aos 25. A nova igualdade no placar surgiu em disputa de bola entre Ramiro Costa e Douglas dentro da área. O juiz anotou a penalidade e a Universidad marcou o terceiro.

Embalada, a equipe da casa partiu para o ataque, mas novamente parou em Rogério Ceni. Pressionado, o time brasileiro tentou matar o jogo no contra-ataque e obteve sucesso aos 40, quando Welliton tabelou com Ganso. Sem marcação dentro da área, o atacante bateu entre as pernas de Toselli e garantiu a classificação do São Paulo às quartas de final da Sul-Americana. Nos instantes finais, Tomás Costa acertou o rosto de Rodrigo Caio em dividida no meio-campo e acabou sendo expulso. Ganso, na tentativa de separar os jogadores, também recebeu o vermelho e já é desfalque certo para a próxima fase da competição.

FICHA TÉCNICA:

UNIVERSIDAD CATÓLICA 3 x 4 SÃO PAULO

UNIVERSIDAD CATÓLICA - Cristopher Toselli; Marko Biskupovic (Ramiro Costa), Cristián Álvarez, Hans Martínez e Alfonso Parot; Fernando Cordero, Tomás Costa, Fernando Meneses (Muñoz) e Milovan Mirosevic; Ismael Sosa e Nicolás Castillo. Técnico: Martín Lasarte.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi e Edson Silva; Douglas, Rodrigo Caio, Denilson (Wellington), Maicon e Paulo Henrique Ganso; Ademilson (Lucas Evangelista) e Aloísio (Welliton). Técnico: Muricy Ramalho.

GOLS - Sosa, aos 16, Aloísio, aos 18 e aos 23, e Cordero, aos 22 minutos do primeiro tempo. Ademilson, aos 19, Mirosevic (pênalti), aos 25, e Welliton, aos 40 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Edson Silva, Sosa, Wellington, Mirosevic, Rodrigo Caio.

CARTÕES VERMELHOS - Tomás Costa e Ganso.

ÁRBITRO - Antonio Arias (Fifa/Paraguai).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago (Chile).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.