São Paulo soube superar momentos ruins no torneio

Equipe de Muricy Ramalho chegou a estar 11 pontos atrás do então líder Grêmio no Campeonato Brasileiro

Agencia Estado

07 de dezembro de 2008 | 19h31

Houve um momento, já no segundo turno do Campeonato Brasileiro, que nem o são-paulino mais otimista acreditava na conquista do título. Após o empate por 1 a 1 com o Atlético Mineiro, o time terminou a rodada em sexto lugar, a 11 pontos do então líder Grêmio, e até mesmo a classificação para a Libertadores foi questionada - a ponto de o goleiro Rogério Ceni dizer que não se imaginava "jogando em Macapá", falando na possibilidade de ter de jogar a Copa do Brasil.Veja também:São Paulo é campeão brasileiro pela 6.ª vez na históriaVitória sobre o Goiás dá o título para o São Paulo Brasileirão 2008 - Classificação Brasileirão 2008 - Resultados Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão De fato, até então o São Paulo vinha alternando boas e más atuações no Brasileirão. No Maracanã, venceu o Flamengo, que ocupava a liderança na época, mas não passou de um empate contra o lanterna Ipatinga, no Morumbi. O empate no Mineirão, contudo, serviu como um divisor de águas para a equipe no campeonato, marcando a arrancada rumo ao título.O começo do ano já não havia sido dos melhores: o São Paulo foi eliminado nas semifinais do Paulistão, numa polêmica semifinal diante do Palmeiras, e caiu nas quartas-de-final da Libertadores diante do Fluminense. O investimento de curto prazo em Adriano, Fábio Santos e Carlos Alberto, contratados por apenas seis meses, revelou-se um fiasco, e o time começou patinando o Brasileirão - somou apenas três pontos nas primeiras quatro rodadas.O técnico Muricy Ramalho balançou no cargo, mas prometeu que a situação ia se definir a partir de julho, com a maratona de jogos duas vezes por semana e a definição dos elencos das equipes após a reabertura do mercado europeu. Havia o temor de perder jogadores importantes, como Hernanes, Miranda e Jorge Wagner, mas o único a sair foi o zagueiro Alex Silva, para o Hamburgo, da Alemanha.Em setembro, quando os jogos passaram a se concentrar apenas uma vez por semana - até porque o time reserva foi eliminado rapidamente da Copa Sul-Americana, pelo Atlético-PR -, Muricy cumpriu a promessa, e o São Paulo embalou. A partir do famoso jogo contra o Atlético-MG, depois do qual os jogadores contam ter levado um "chacoalhão" da diretoria e da comissão técnica, foram 14 jogos, com 11 vitórias e três empates.Primeiro, o time se fixou no G-4, o grupo de classificação para a Libertadores. No dia 2 de novembro, pela 33.ª rodada, o time venceu o Internacional por 3 a 0 e assumiu a liderança para não mais perdê-la. A primeira chance do título foi na rodada passada, mas o São Paulo empatou por 1 a 1 com o Fluminense e adiou a decisão para a última rodada, contra o Goiás, confirmando sua conquista mais difícil na era dos pontos corridos - foi campeão com duas rodadas de antecedência em 2006, e com quatro rodadas de antecipação em 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.