Fernando CARTAGENA / AFP
Fernando CARTAGENA / AFP

São Paulo supera altitude, vence Jorge Wilstermann e abre folga na Sul-Americana

Com gols de Igor Gomes, Marquinhos e Reinaldo, time tricolor se aproxima se vaga nas oitavas de final

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2022 | 21h22

O São Paulo continua absoluto no Grupo D da Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira, conseguiu a terceira vitória em três partidas ao fazer 3 a 1 no Jorge Wilstermann, em Cochabamba, Bolívia. O time não jogou um grande futebol, cometeu vários erros defensivos, mas fez o bastante para derrotar o lanterna da chave.

Com isso, o São Paulo termina o turno com cinco pontos de vantagem sobre o chileno Everton (9 a 4), segundo colocado no grupo e seu próximo adversário. Uma vitória na próxima quinta-feira, no Chile, garantirá a classificação do Tricolor às oitavas de final.

O primeiro tempo em Cochabamba pode ser divididos em três estágios. O São Paulo começou ditando o ritmo da partida, tocando bem a bola, com boa movimentação e, mesmo sem ser muito contundente, criou algumas chances e estava confortável em campo.

A superioridade resultou no gol de Igor Gomes, que completou de primeira cruzamento de Igor Vinícius.

O gol, porém, fez mal ao São Paulo. O time parece ter relaxado e com isso permitiu aos limitados bolivianos algumas ações ofensivas. Em um desses ataques, Arboleda cometeu um pênalti bobo, ao atropelar Osorio em lance na grande área. O próprio atacante bateu, com categoria, e empatou para Jorge Wilstermann.

Surpreendido com o empate, o São Paulo tentou voltar para a partida. Passou a jogar com um pouco mais de intensidade, pressionando a confusa defesa do Wilstermann, mas também deixava espaços para o adversários tentar chegar ao segundo gol. Não correu riscos maiores, porém, por causa da limitação dos bolivianos.

Em resumo, a atuação na etapa foi pálida. Mas a lamentar mesmo, o Tricolor tem a perda de Gabriel Sara. O meia, que está voltando após longo período se recuperando de contusão, sofreu forte entrada de Echeveria e teve de ser substituído aos 37 minutos.

Descontente, Rogério Ceni fez duas alterações no intervalo, colocando Colorado e Rigoni nos lugares de Luan e Luciano, respectivamente. E após cinco minutos iniciais em que a defesa são-paulina cometeu vários erros, o time voltou a ter o comando da partida.

 Rigoni acertou o travessão em cobrança de falta e pouco depois o São Paulo fez o segundo. Eder foi derrubado na área pelo goleiro Poveda. Reinaldo cobrou o pênalti  com a habitual eficiência.

O São Paulo continuou errando na defesa, foi pressionado, o Wilstermann teve boas chances e por pouco não empatou. Mas o Tricolor ainda fez o terceiro com belo chute de Marquinhos, que havia acertado bola na trave pouco antes, e assegurou a vitória.

FICHA TÉCNICA

JORGE WILSTERMANN 1 x 3 SÃO PAULO

JORGE WILSTERMANN: Poveda; Ortiz, Echeverria, Montero e Robson dos Santos (Rodríguez); Cristhian Machado, Villarroel, Luis Vargas (Añez)  e Serginho; Osorio e Andrés Chavez (Ballivián). Técnico: Sergio Migliaccio.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius (Rafinha), Arboleda, Léo e Reinaldo; Luan (Andrés Colorado), Igor Gomes, Gabriel Sara (Marquinhos); Alisson, Eder (Rodrigo Nestor)  e Luciano (Rigoni). Técnico: Rogério Ceni.

GOLS: Igor Gomes, aos 23, Osorio, aos 31min do 1º tempo. Reinaldo, aos 18, e Marquinhos, aos 39 do segundo.

ÁRBITRO: Carlos Ortega (Colômbia).

CARTÕES AMARELOS: Robson dos Santos, Echeveria, Osorio, Luan, Ortiz, Igor Gomes, Alisson e Rafinha.

LOCAL: Estádio Félix Capriles, em Cochabamba (Bolívia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.