Reprodução/Twitter/saopaulofc
Reprodução/Twitter/saopaulofc

São Paulo supera o Coritiba e mantém vivo sonho pela Libertadores

Tricolor consegue superar erro da arbitragem e busca virada com time recheado de jovens

O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2017 | 19h05

Mesmo jogando com um time recheado de jovens jogadores, o São Paulo conseguiu superar o ameaçado Coritiba no estádio Couto Pereira, por 2 a 1, e manteve vivo o sonho de conseguir uma vaga na Copa Libertadores de 2018. Wilson abriu o placar após pênalti inexistente, mas o time paulista virou com gols de Militão e Galdezani (contra), ambos marcados no segundo tempo do confronto válido pela 37ª rodada do Brasileirão.

+ LANCES: Coritiba x São Paulo

+ Tabela: Campeonato Brasileiro 2017

Agora com 49 pontos, o time de Dorival Junior precisa ganhar na última rodada e torcer para Grêmio faturar a edição atual da Libertadores e o Flamengo ser campeão da Copa Sul-Americana para poder ter chances de garantir um lugar na fase preliminar da competição continental. Isso faria o G7 virar um G9. Além disso, o time tricolor ainda terá de contar com derrotas de Bahia, Atlético-MG e Botafogo em seus próximos compromissos para poder beliscar uma improvável vaga na Libertadores.​

Já o Coritiba estacionou nos 43 pontos e está logo acima da zona de rebaixamento, que é encabeçada por Sport e Avaí, ambos com 42 pontos. Na rodada final do Brasileirão, no próximo domingo, o time paranaense terá pela frente a Chapecoense, às 17 horas, na Arena Condá, em Chapecó.

Sem contar com quatro titulares, Petros, Hernanes, Pratto e Lucas Fernandes, Dorival Junior aproveitou o confronto para realizar alguns testes no time titular. Ao todo, 12 dos 23 atletas convocados para o jogo foram formados pelo clube.

A principal aposta ficou por conta de Brenner. Destaque da seleção brasileira no último Mundial Sub-17, o atacante de 17 anos mostrou bom posicionamento e foi responsável pelas duas principais oportunidades criadas pelo São Paulo no primeiro tempo e mostrou que deverá ganhar mais espaço na equipe na próxima temporada.

Pressionado com o risco da queda, o Coritiba pouco conseguiu assustar no primeiro tempo e apostou nas bolas alçadas na área. E foi em um cruzamento que aconteceu o lance mais polêmico do jogo.

Thiago Real bateu a mão na bola em disputa com Edimar. Instruído pela equipe de arbitragem, Anderson Daronco sinalizou pênalti, apesar dos protestos dos jogadores da equipe paulista. Na cobrança, o goleiro Wilson não deu chances para Sidão e marcou seu segundo gol no Brasileirão.

Na volta dos vestiários os papéis se inverteram. Aproveitando que os donos da casa adotaram uma postura defensiva, o São Paulo passou a explorar a bola aérea e conseguiu a virada. Primeiro com Militão, que aproveitou cobrança de escanteio, e depois Galdezani errou ao tentar afastar e mandou contra o seu próprio gol.

Apesar da baixa média de idade do time que Dorival levou a campo, os são-paulinos conseguiram mostrar tranquilidade e garantiram o resultado positivo, que colou fim a uma sequência de quatro jogos sem vitória.

O São Paulo se despede do Campeonato Brasileiro no próximo domingo, contra o Bahia. A partida será especial por dois motivos. Além de marcar o retorno do clube ao estádio do Morumbi depois de cinco rodadas por conta de uma maratona de shows, o jogo pode ser a despedida do zagueiro Diego Lugano, que tem contrato até o dia 31 de dezembro.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 1 X 2 SÃO PAULO

CORITIBA: Wilson; Dodô, Cléber Reis, Werley e Carleto; Jonas, Alan Santos (Edinho), Tiago Real e Yan (Matheus Galdezani); Rildo e Henrique Almeida. T: Marcelo Oliveira.

SÃO PAULO: Sidão; Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Araruna (Thomaz), Shaylon, Marcos Guilherme e Cueva; Brenner (Júnior Tavares). T: Dorival Junior. 

Gols: Wilson, aos 42 minutos do primeiro tempo; Militão, aos 22, e Galdezani, aos 26 minutos do segundo tempo.

Juiz: Anderson Daronco.

Amarelos: Cléber Reis, Yan, Marcos Guilherme, Werley, Dodô. 

Público: 38.059 total. (R$ 788.580,00).

Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.