Alex Silva / Estadão Conteúdo
Alex Silva / Estadão Conteúdo

São Paulo supera o Palmeiras e derruba tabu no Allianz Parque

No décimo clássico na nova casa palmeirense, Reinaldo e Vitor Bueno marcam os gols do triunfo por 2 a 0, pelo Brasileirão

Marcius Azevedo, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2020 | 21h07

O tabu chegou ao fim. Com um gol de Reinaldo, de pênalti, e outro de Vitor Bueno nos acréscimos, o São Paulo superou o Palmeiras por 2 a 0, ontem, pelo Brasileirão, e ganhou pela primeira vez no Allianz Parque. A vitória acontece no décimo clássico na casa palmeirense. O resultado traz alívio para o técnico Fernando Diniz e joga um pouco de pressão para o lado de Vanderlei Luxemburgo

O triunfo mantém o São Paulo na luta pelas primeiras posições na tabela, sem perder de vista Atlético-MG e Flamengo. O Palmeiras fica quatro pontos atrás do rival, fora do G-4 e podendo até mesmo sair do G-6 no complemento da rodada.

O clássico começou com os dois times buscando pressionar na saída de bola. O São Paulo, um pouco mais acostumado ao estilo de Fernando Diniz, tinha mais facilidade na transição defesa para o ataque. O Palmeiras se complicava um pouco. E quase viu o rival abrir o placar em uma roubada de bola de Luan na entrada da área. Brenner finalizou para fora.

A opção de Luxemburgo por congestionar o meio de campo com Patrick de Paula, Zé Rafael, Lucas Lima e Raphael Veiga fez o time perder um pouco de profundidade. As jogadas pelo lado do campo, tão importantes, se limitavam ao lado esquerdo, com Wesley. Muito pouco para incomodar Tiago Volpi.

O São Paulo teve mais uma chance com Igor Gomes, em cabeçada que assustou Jailson, mas depois o Palmeiras equilibrou o clássico. O primeiro chute (e único na etapa inicial) que fez Volpi trabalhar saiu do sempre calibrado pé esquerdo de Patrick de Paula. O problema é que, por causa da configuração escolhida por Luxemburgo, o time, quase sempre, insistia pela região central. A opção facilitava o trabalho de destruição da equipe de Fernando Diniz. 

Apesar da pouca emoção dos primeiros 45 minutos, os treinadores não trocaram peças no intervalo. Fernando Diniz, no entanto, fez uma mudança tática que fez o time abrir o placar. O São Paulo passou a jogar pelas laterais. Igor Vinícius recebeu passe de Daniel Alves e foi derrubado por Esteves na área: pênalti. Reinaldo cobrou com força, sem chances para Jailson.

Luxemburgo demorou apenas dois minutos para mexer na equipe após o gol. E foram três mudanças, todas no setor ofensivo: Gustavo Scarpa, Luiz Adriano e Gabriel Veron. O São Paulo, de imediato, recuou. Benner passou a ser o jogador mais adiantado na intermediária defensiva. O técnico do Palmeiras fez mais duas substituições e, logo depois, Luan se lesionou. Sem opção, o zagueiro foi fazer apenas número no ataque. 

Fernando Diniz colocou Toró e Vitor Bueno para tentar matar o jogo no contra-ataque e encontrou o que buscava. Reinaldo encontrou Igor Vinícius pelo lado esquerdo e rolou para o meio da área para Vitor Bueno finalizar e fechar o placar. O São Paulo encerrou o tabu no Allianz Parque - eram oito derrotas e um empate - e continua sem perder para os rivais em 2020.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 0 X 2 SÃO PAULO

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Felipe Melo, Luan e Esteves (Danilo); Patrick de Paula, Zé Rafael (Ramires), Lucas Lima e Raphael Veiga (Gabriel Veron); Wesley (Gustavo Scarpa) e Willian (Luiz Adriano). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO:  Tiago Volpi; Igor Vinícius, Bruno Alves, Diego e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê (Léo), Daniel Alves e Igor Gomes (Vitor Bueno); Brenner (Pablo) e Luciano (Toró). Técnico: Fernando Diniz. 

GOLS: Reinaldo, aos 11, Vitor Bueno, aos 47 minutos do 2º tempo.

JUIZ: Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS: Igor Vinícius, Esteves e Patrick de Paula.

LOCAL: Allianz Parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.