Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

São Paulo tem estrelas em baixa e suplentes em fase crescente no elenco

Ganso e Luis Fabiano amargam má fase; Kardec e Boschilia brilham

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

24 Março 2015 | 07h00

Na semana do clássico com o Palmeiras a boa fase se inverteu no São Paulo e duas estrelas do time titular estão em baixa. Enquanto Ganso foi vaiado no último jogo e Luis Fabiano não marca há 45 dias e tem só dois gols no ano, reservas como Alan Kardec e Boschilia têm convencido e começam a fazer sombra.

A boa fase dos suplentes só não ameaça de vez os titulares porque o técnico Muricy Ramalho dificilmente deve abrir mão de Ganso e Luis Fabiano. Por diversas vezes o treinador já reafirmou que não desiste dos seus jogadores e que confia no talento de quem até mesmo não está jogando bem.

Ganso saiu vaiado de campo na última partida em que atuou. Contra o San Lorenzo, na última semana, pela Copa Libertadores, deixou o campo nos minutos finais. Instantes depois, o time fez o gol da vitória, já com Boschilia em campo. O garoto de 19 anos tem sido elogiado por Muricy e se destacou no último domingo, ao dar uma assistência na vitória por 3 a 0 sobre o Marília, pelo Campeonato Paulista.

Nessa mesma partida outro destaque foi o reserva Alan Kardec. Nas duas últimas vezes em que foi titular, teve atuação decisiva. Contra a Ponte Preta fez nos minutos finais o gol da vitória de virada por 2 a 1 e diante do Marília, marcou duas vezes. "Tenho confiança em mim e respeito a decisão do técnico, mas quem está fora do time, tem que trabalhar para estar preparado quando tiver a oportunidade", comentou.

Kardec lembrou quem em 2014 foi titular durante boa parte do segundo semestre e desse período, retira o exemplo de como deve ser comportar para disputar a posição. "Acima de tudo vem o profissionalismo, a seridade e o respeito aos companheiros. No ano passado tive esse respeito dos companheiros e agora não posso abaixar a cabeça por estar na reserva".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.