São Paulo tem medo de perder Kaká

O São Paulo está com medo de perder o meia Kaká, principal revelação do futebol brasileiro em 2001, e não receber, em troca, nenhum tostão. Seu contrato termina já em janeiro de 2003 e, com o fim do passe, o atleta estará liberado para procurar outra equipe, pois não terá mais nenhum vínculo com o clube. Para evitar que isso ocorra, a diretoria tricolor propôs um extraordinário aumento de 344% ao jogador, de 19 anos. Ele recebe R$ 18 mil mensais e passaria a ganhar cerca de R$ 80 mil. Só que em troca teria de aceitar uma prorrogação de mais dois anos no contrato, que, nesse caso, terminaria apenas em 2005. Até agora não houve acerto, porque o procurador de Kaká, Wagner Ribeiro, e o pai, o engenheiro Bosco Izecson Leite, não acham interessante aumentar tanto o vínculo com o clube. Ribeiro não quis confirmar que o São Paulo ofereceu um salário de R$ 80 mil, mas disse que os dirigentes já o procuraram para fazer uma oferta. ?Estamos conversando?, limitou-se a dizer o empresário. Os são-paulinos acreditam que Kaká vai à Coréia do Sul e ao Japão para disputar a Copa do Mundo com a seleção brasileira. Assim, será valorizado e os europeus passarão a assediá-lo. Após o Mundial, porém, se o contrato não for prorrogado, faltará apenas meio ano para que ele seja liberado do Morumbi. E, quem estiver interessado em contratá-lo, irá esperar o fim de sua ligação com o São Paulo para poder levá-lo sem precisar pagar nada ao Tricolor. O clube, então, perderia uma pequena fortuna. Para Kaká, no entanto, haveria algumas vantagens. Nesse caso, ele poderá negociar com qualquer clube e exigir um valor mais elevado de luvas e até de salário. Afinal, o comprador não teria pago nada por seu passe. O trunfo do São Paulo é justamente essa prorrogação de contrato. Se conseguir isso, o clube que quiser ficar com ele terá de pagar elevada multa rescisória para romper o vínculo do atleta com o Tricolor. Em relação ao atacante França, o caso é parecido. A diretoria está desesperada para negociá-lo, porque sabe que, se demorar mais um ano para concretizar uma transação, o clube irá perder todo o dinheiro. Seu contrato termina em dezembro de 2002 e, a partir daí, ele estará fora do Morumbi. O objetivo dos dirigentes, porém, está muito perto de ser alcançado. França está de saída para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, por cerca de US$ 8,5 milhões. Só falta a assinatura do contrato, mas já está tudo praticamente acertado. Reinaldo ameaçado ? A chegada do atacante Reinaldo, ex-Flamengo, contratado por empréstimo na semana passada, está bastante ameaçada. Conforme antecipou a Agência Estado, no domingo, o Corinthians irá enviar um ofício à Justiça para lembrar que o jogador não pode ser transferido, segundo Antônio Roque Citadini, vice-presidente de Futebol. Seu passe está penhorado por causa de uma dívida de US$ 2,2 milhões que o Flamengo tem com o Corinthians. Nesta quarta-feira, a assessoria de imprensa do São Paulo enviou um comunicado, assinado pelo presidente Paulo Amaral, informando que a apresentação do jogador, marcada para esta quarta-feira, foi cancelada e não tem data marcada. Indícios de que o negócio pode ?melar?. Nesta quarta à tarde, Amaral, o diretor de futebol, José Dias, e o procurador de Reinaldo, Gilmar Rinaldi, se reuniram no Morumbi para discutir o assunto. Com medo de não poder utilizar o jogador, o presidente já pensa até em devolvê-lo ao Flamengo. Gilmar garante que não haverá nenhum problema para o São Paulo. ?O problema é entre Corinthians e Flamengo e eles têm de resolvê-lo.? O empréstimo vai até o meio do ano, porque seu passe já foi vendido ao Paris Saint-Germain, da França. A apresentação na Europa está marcada para julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.