Rubens Chiri / São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo

São Paulo tem um plano para segurar as joias formadas em Cotia

Diretoria faz contratos longos e com multa alta com Antony, Lizieiro, Luan e Igor Gomes para dificultar saída precoce

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2019 | 04h34

Para não correr o risco de perder jogadores jovens e talentosos por um valor baixo, o São Paulo planejou acertar contratos longos e com multas milionárias para o mercado internacional com as suas estrelas de Cotia que já estão no time profissional.

Oficialmente, a diretoria tricolor garante que não existe proposta por nenhuma das jovens revelações. Obviamente, o que é muito comum no futebol, as sondagens aparecem com mais frequência. Mas os dirigentes já avisaram que não pretendem negociar os garotos em breve, a menos que apareçam propostas irrecusáveis.

Igor Gomes, Liziero, Luan e Antony, titulares na reação da equipe no Paulistão, possuem contratos longos e multa de 50 milhões de euros (R$ 215,5 milhões) cada para o mercado internacional. Outro fator importante é que o clube tem 100% dos direitos econômicos deles, ou seja, numa negociação todo dinheiro ficaria com o São Paulo.

O volante Liziero é o mais experiente do grupo de jovens. Aos 21 anos, é um meio-campista que consegue fazer uma boa ligação para o ataque e já chamou a atenção da Europa, mas sem nada muito concreto. Ele tem passaporte italiano e seu contrato com o São Paulo vai até 30 de abril de 2023.

Seu companheiro no meio de campo, o volante Luan, tem vínculo até 31 de dezembro de 2022. Ele tem feito ótimas partidas e deixou jogadores consagrados no banco, como Jucilei. Incansável na marcação, ele ajudou a dar uma boa sustentação à defesa da equipe, que não é vazada há três partidas.

“Não recebi proposta, minha cabeça está 100% focada no São Paulo. Quando subi, falei que queria me concentrar no São Paulo e quero ganhar títulos. Agora é minha primeira oportunidade e posso ser campeão já com 19 anos. Vou dar o máximo para conseguir o título”, comentou Luan, de olho na decisão do Paulistão contra o Corinthians.

Outro jogador que começa a ocupar seu espaço é o meia Igor Gomes, que tem contrato até 31 de março de 2023. Ele foi o herói do time na vitória sobre o Ituano, no Morumbi, pelas quartas de final do Paulistão, e ocupou a vaga do titular Hernanes desde que o experiente jogador se machucou. Com boa movimentação, chamou atenção.

E o quarto nesta lista é o atacante Antony, melhor jogador do São Paulo no título da Copinha neste ano e que tem contrato até 30 de setembro de 2023. Ele é um jogador habilidoso, de velocidade, que tem feito boas atuações pelo lado direito.

Além do quarteto titular, outros dois jogadores também estão com o vínculo maior com o time. É o caso do atacante Helinho, com contrato até 31 de dezembro de 2022, e Brenner, com vínculo até 31 de dezembro de 2020. Os dois são opções no banco, mas vistos como atletas de muito futuro no clube.

Famoso por formar bons jogadores, o São Paulo optou por valorizar seus atletas da base que subiram para o profissional para que não ocorresse uma saída precoce, como foi com Eder Militão. O defensor não quis ampliar seu vínculo com o clube ao chegar ao profissional e, para não perdê-lo de graça, a diretoria acabou aceitando a proposta do Porto. O time português pagou ao tricolor 4 milhões de euros (R$ 17,3 milhões na época).

Na negociação, o São Paulo manteve 10% dos direitos econômicos de Militão e isso, com o tempo, se mostrou uma boa alternativa. Com a venda milionária recente que o Porto fez para o Real Madrid, da Espanha, o clube brasileiro ganhou quase R$ 30 milhões, valor superior ao que recebeu na primeira venda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.