São Paulo tem uma decisão em Araras

Uma semana recheada de problemas técnicos e administrativos transformou o jogo deste sábado contra o União São João, em Araras, numa decisão para o São Paulo. O time precisa da vitória para diminuir a dependência em relação aos três jogos que restarão, contra o União Barbarense (em Santa Bárbara D?Oeste), Portuguesa e Corinthians. O São Paulo, vice-líder do campeonato, tem 21 pontos, um a menos que a líder Ponte Preta. O União São João, 10.º colocado com 14 pontos, tenta fugir do rebaixamento. Vadão conscientizou os jogadores são-paulinos do momento vivido pela equipe. "Duas derrotas seguidas deixariam o clima muito ruim por aqui", admitiu o centroavante França. "Queremos chegar ao jogo contra o Corinthians com a classificação garantida." Turbulências - A tranqüilidade que reinava no São Paulo após a conquista do Rio-São Paulo foi quebrada por uma série de fatos nos últimos dias. No domingo, jogando muito mal, o time perdeu para o Botafogo, em Ribeirão Preto, uma invencibilidade de nove partidas. Na terça-feira, a direção do clube descobriu, menos de 12 horas antes do embarque para Fortaleza, que o jogo contra o Ceará, pela Copa do Brasil, não aconteceria no dia seguinte. Para completar, Vadão colocará em campo uma dupla de zaga considerada reserva da reserva. O ex-júnior Júlio Santos, de 19 anos, vestirá pela primeira vez a camisa de titular da equipe. Ele fará dupla com o chileno Maldonado, volante que jogará improvisado. Os titulares Rogério Pinheiro e Jean estão suspensos e os reservas Wilson e Reginaldo recuperam-se de contusões. O lateral-direito Belletti, contundido no joelho esquerdo, também não jogará. Acertar a defesa foi a principal preocupação de Vadão durante os treinamentos da semana. Além do desentrosamento, Júlio Santos (1,82 metro) e Maldonado (1,74 metro) são considerados baixos em relação aos titulares Jean (1,85 metro) e Rogério Pinheiro (1,84 metro). O meia Júlio Baptista e o centroavante França ajudarão a defesa nas jogadas pelo alto em cobranças de faltas e escanteios. Carlos Miguel deverá voltar ao time no jogo de amanhã, em lugar de Kaká. "Com o Carlos Miguel o time ganha em experiência e em articulação de jogadas", disse Vadão, que, no entanto, não quis confirmar a alteração. Carlos Miguel, cauteloso, disse que, se for necessário, está pronto para voltar ao time. Kaká mostrou-se conformado com a situação. "Se perder a posição, vou continuar trabalhando para voltar à equipe nos próximos jogos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.