São Paulo teme ter mais problemas para os próximos jogos

Com poucas opções para o time e falta de resultados, time tricolor está em crise

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

09 de março de 2008 | 11h13

Mais uma vez, o São Paulo teve problemas e agora saiu de campo derrotado, no sábado, por 2 a 0 para a Portuguesa. Mais uma vez, o técnico Muricy Ramalho apontou como problema o cansaço dos jogadores e os poucos jogadores disponíveis para escalar. E desta vez ele teve motivos: apenas 16 estavam no banco de reservas, mais os 11 em campo. E a tendência ainda é piorar, já que ele perdeu Reasco, machucado, e Aloísio, expulso. Veja também: Apático, São Paulo perde para a Lusa e pode deixar o G-4 Declarações de Juvenal motivaram jogadores da Lusa São-paulinos apontam novamente o cansaço como culpado Na entrevista coletiva após o jogo, Muricy, calmo, reclamou. "Não se pode falar antes dos problemas porque senão fica cansado antes do jogo. O certo não era pôr esse time para jogar neste jogo, demos azar que não tinha quem colocar", diz, em tom de lamentação.  "Não podemos lamentar, tem de pôr para jogar quem tem. Volto a repetir: não se preparar para um jogo é muito difícil para a gente. Como a gente não pode treinar, tem de procurar recuperar o time, usar o que tem à disposição. Não sou pára-quedista. Estou falando isso faz tempo", justifica o técnico. O problema para o técnico é que além dos citados acima ele ainda não poderá escalar o volante Fábio Santos, que está machucado com problema muscular. E Dagoberto, que treinou com bola nesta semana, ainda é dúvida. "Tem de tomar cuidado, não pode voltar e sentir. Por enquanto não sentiu nada, mas tem de ter calma", pede o técnico. FUTUROMas nem só é reclamação por parte do técnico. Ele acha que os problemas vão diminuir no jogo contra o Grêmio Barueri, nesta quarta. "O Barueri tem um time bom. Teremos um dia a mais para se recuperar para a quarta, e o jogo vai ser à noite, vai ajudar".  Jorge Wagner faz coro no discurso e ressalta a importância da vitória para evitar uma crise maior. "O jogo no meio da semana vai ser superimportante para definir nossa situação no campeonato. Cansaço nos prejudicou muito contra a Portuguesa, estávamos muito desgastado, campo grande, eles chegaram pouco no nosso gol e aproveitaram as chances." INCÔMODOSó uma coisa deixou Muricy realmente chateado: a expulsão de Aloísio. Mas não pelo árbitro Milton Etsuo Ballerini, e sim pelo jogador, que começou no banco de reservas e foi pedido pela torcida no Estádio Santa Cruz ainda no primeiro tempo. "Foi uma pancada sem necessidade. Ele [árbitro] deu cartão vermelho porque acho que merecia, não posso falar direito porque foi muito rápido, mas ele estava perto do lance. Jogador de futebol tem de estar concentrado no que faz. Aloísio não pode começar jogo, então não tem o que fazer". CLÁSSICO Sobre o clássico do próximo domingo, contra o Palmeiras, o técnico são-paulino puxa de volta para o problema do cansaço. "É uma cidade boa [Ribeirão Preto], campo bom, vestiário bom. A única coisa ruim no clássico é que o jogo vai ser às quatro da tarde, tem o calor. Aí o bicho vai pegar."

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.