Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

São Paulo tenta evitar 22ª queda em mata-mata desde o último título

Após perder por 1 a 0 no Morumbi, São Paulo precisa vencer o Bahia na noite desta quarta-feira para avançar na Copa do Brasil

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2019 | 04h30

O São Paulo tenta nesta quarta-feira à noite, a partir das 21h30, evitar a 22ª eliminação em mata-matas desde que conquistou seu último título, a Copa Sul-Americana de 2012. A equipe do técnico Cuca precisa vencer o Bahia, na Arena Fonte Nova, para avançar às quartas de final da Copa do Brasil.

Como perdeu por 1 a 0 no Morumbi, o São Paulo precisa ganhar do Bahia por dois gols ou mais de diferença para garantir a classificação. Vitória por um gol de diferença, independentemente do placar, leva a decisão para os pênaltis.

Desde o título da Sul-Americana até agora, o São Paulo foi eliminado cinco vezes na Copa do Brasil. A melhor campanha neste período aconteceu em 2015, quando caiu na semifinal para o Santos. Nas outras edições, perdeu para Bragantino na terceira fase de 2014, Juventude nas oitavas de final de 2016, Cruzeiro na quarta fase de 2017 e Athletico-PR também na quarta fase em 2018.

Neste ano, o São Paulo já perdeu duas vezes em mata-matas. Caiu para o Talleres (ARG) ainda na segunda fase da Libertadores da América e ficou com o vice do Campeonato Paulista ao ser derrotado pelo Corinthians na decisão. 

Se for eliminado da Copa do Brasil, restará apenas o Brasileirão para a equipe tricolor até o fim de 2019. No campeonato nacional de pontos corridos, o time está em quarto lugar, com 11 pontos, cinco a menos que o líder Palmeiras.

Além de continuar vivo na Copa do Brasil, competição que o São Paulo nunca ganhou, a vitória daria mais tranquilidade para Cuca trabalhar. A equipe vem de uma sequência de três jogos sem marcar, e o treinador tem blindado seus jogadores publicamente.

"Deu uma caída nesses últimos jogos e temos que recuperar o quanto antes. O time sente. Por ser uma equipe jovem, é natural. Vai render cada vez mais, à medida em que tiver conhecimento maior um do outro. É a realidade. A gente sabe o que falta, vamos atrás disso. Mas não adianta pôr fogo em Roma, ficar culpando todo mundo. O maior culpado é quem escala. Prefiro que eu receba as críticas do que o jogador, porque vou precisar dele nas próximas partidas", afirmou o treinador, após a derrota por 1 a 0 no clássico contra o Corinthians, no último domingo.

Internamente, Cuca conversou com os jogadores na última segunda-feira, quando o elenco se reapresentou no CT da Barra Funda. O técnico chamou individualmente os atletas para dar orientações. A expectativa é de que haja uma nova postura na partida diante do Bahia.

A preparação do São Paulo para o confronto decisivo, aliás, foi mais com conversas do que atividades em campo. A equipe disputa sua quarta partida em 11 dias e teve apenas segunda e terça-feira para trabalhar. Na reapresentação, os titulares do clássico realizaram treinos leves. Na terça, em treino fechado, Cuca orientou uma atividade tática e fez ajustes nas cobranças de bolas paradas antes da viagem a Salvador.

Veja as quedas desde 2013:

2019: Corinthians (final do Campeonato Paulista)

2019: Talleres-ARG (segunda fase da Libertadores)

2018: Colón-ARG (segunda fase da Copa Sul-Americana)

2018: Athletico-PR (quarta fase da Copa do Brasil)

2018: Corinthians (semifinal do Campeonato Paulista)

2017: Cruzeiro (quarta fase da Copa do Brasil)

2017: Defensa y Justicia-ARG (primeira fase da Copa Sul-Americana)

2017: Corinthians (semifinal do Campeonato Paulista)

2016: Juventude (oitavas de final da Copa do Brasil)

2016: Atlético Nacional-COL (semifinais da Copa Libertadores)

2016: Audax (quartas de final do Paulistão)

2015: Santos (semifinal da Copa do Brasil)

2015: Cruzeiro (oitavas de final da Copa Libertadores)

2015: Santos (semifinal do Campeonato Paulista)

2014: Atlético Nacional-COL (semifinais da Copa Sul-Americana)

2014: Bragantino (terceira fase da Copa do Brasil)

2014: Penapolense (quartas de final do Campeonato Paulista)

2013: Ponte Preta (semifinal da Copa Sul-Americana)

2013: Corinthians (final da Recopa Sul-Americana)

2013: Atlético-MG (oitavas de final da Copa Libertadores)

2013: Corinthians (semifinal do Campeonato Paulista)

Veja análises da redação:

Paulo Favero, repórter de esportes: "Tecnicamente o São Paulo tem um time capaz de voltar com a classificação de Salvador. É mais rico, tem jogadores experientes e conta com estrelas em seu elenco. Mas precisa provar dentro de campo que deseja que isso aconteça. Não há time vencedor sem vontade. Uma classificação se ganha em cada dividida, cada gota de suor a mais... Se não tiver alma, pode esquecer a Copa do Brasil. E a temporada." 

Marcius Azevedo, editor-assistente: "O São Paulo que perdeu o clássico para o Corinthians no domingo, pelo Brasileirão, não vai eliminar o Bahia. O São Paulo que chegou à final do Paulistão ao passar pelo Palmeiras na semifinal e deixou escapar o título por pouco para o mesmo Corinthians tem chance. É hora de resgatar o espírito de luta que fez o torcedor ter esperança. Isso será mais importante do que o aspecto técnico em Salvador."

Gonçalo Junior, repórter de esportes: "Falta o arroz com feijão: uma espinha dorsal e a sequência de treinos e jogos para que o time supere o eterno estágio de formação. A zaga é um bom exemplo disso. As trocas de treinador e a saída de atletas a cada janela levaram embora a identidade. Do atual elenco, só cinco atletas já fizeram mais de 100 partidas pelo clube. Sem o básico, o time tem de apelar para o jogo individual para evitar nova queda hoje."

FICHA TÉCNICA:

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 29/5/2019 - 21h30

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore, Elton e Douglas Augusto; Artur, Élber e Gilberto. Técnico: Roger Machado. 

São Paulo: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê e Hernanes (Igor Gomes); Everton, Toró e Alexandre Pato. Técnico: Cuca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.