Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

São Paulo tenta liquidar confronto contra o Emelec no Morumbi

Tricolor abre quartas de final da Sul-Americana para construir vantagem larga em casa e evitar sufoco jogando no Equador

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2014 | 07h00

Ainda com chances de título no Campeonato Brasileiro e com um elenco reduzido, o São Paulo entra em campo nesta quinta-feira contra o Emelec com a missão de resolver a fatura nas quartas de final da Copa Sul-Americana e deixar a vaga para a próxima fase encaminhada para que o duelo de volta semana que vem vire quase uma formalidade e o time possa se concentrar também na disputa nacional.

A esta altura já se esperava que o Cruzeiro tivesse praticamente assegurado o bicampeonato brasileiro, mas os tropeços seguidos dos mineiros nas últimas rodadas permitiram uma nova reaproximação do Tricolor na tabela - cinco pontos separam os dois. Desta forma, qualquer chance de priorizar uma competição se esvaiu e agora a equipe se vira para se manter viva nas duas frentes.

A Sul-Americana a princípio seria o Patinho Feio e quase foi colocada em segundo plano, mas à medida que as fases foram passando e cresceu a possibilidade da conquista salvar o ano - além de coroar a aposentadoria de Rogério Ceni -, o torneio passou a ser mais interessante ao menos para colocar mais um troféu na galeria.

"A diferença é que no Brasileiro o Cruzeiro está cinco pontos na nossa frente. Sabemos que a Sul-Americana nos dá uma condição de título maior não porque tem equipes mais fracas, mas porque sempre começa no zero a zero”, avaliou Souza.

Desta forma, portanto, Muricy Ramalho escalará o que tem de melhor, o que não quer dizer que a força máxima estará em campo: são vários os desfalques. Rafael Toloi sentiu dores na coxa esquerda e acabou cortado de última hora; Denilson e Luis Fabiano cumprem suspensão e Alexandre Pato continua fora por causa de uma contratura na coxa esquerda.

O setor ofensivo é o que gera maiores dúvidas. Pela grande apresentação contra o Goiás, Michel Bastos deve ser mantido no meio e Kaká, que não jogou na segunda-feira por estar suspenso, deve ser adiantado ao lado de Alan Kardec. Para as demais funções, Paulo Miranda e Antonio Carlos brigam por um lugar na defesa e Maicon deve ser escolhido para formar dupla com Souza no meio.

A estratégia é repetir o início avassalador apresentado contra o Goiás, quando definiu a partida antes dos 10 minutos. “Precisamos de uma vitória consistente e sem levar gols, jogar a todo vapor”, projetou Souza.

O receio é que faltem pernas para o time suportar a maratona pela qual passa o time. O jogo de hoje é o segundo na semana e a equipe ainda entra em campo contra o Criciúma no domingo. Portanto, quanto antes o placar for definido - e de maneira mais dilatada - melhor.Desta forma, o esquema será mantido com as velhas características de marcação pressão na saída de bola do adversário e movimentação e velocidade no meio para abrir espaços e furar a resistência defensiva.

OTIMISMO

Atual campeão equatoriano e atual terceiro colocado na competição atual, o Emelec desembarcou em São Paulo com um discurso positivo e demonstrando não temer a partida contra o Tricolor. Para o técnico Gustavo Quinteros, o segredo é conseguir neutralizar o setor de criação. “É uma equipe bastante complicada, jogam muito bem. Não podemos deixar espaço entre as linhas porque é uma equipe de jogo conjunto muito forte”, afirmou o comandante.

Outro ponto que chamou atenção de Quinteros é a força das bolas paradas do rival, que na última segunda marcou dois dos três gols dessa forma. “Elestêm a possibilidade de definir a partida numa jogada assim. Precisamos de uma partida perfeita contra eles.”

Para a partida de hoje, Quinteros poupou os meias Mena e Bolaños no último fim de semana para que os dois jogadores estivessem descansados para o jogo. “Pela primeira vez em muito tempo teremos nossa equipe 100%, era algo que não acontecia há algum tempo.”

O São Paulo assistiu a jogos da equipe e espera uma partida complicada mesmo em casa. “Já vimos alguns jogos deles e sabemos que é uma equipe qualificada. Não existem mais equipes bobas na América do Sul, será complicado”, disse Souza.

SÃO PAULO X EMELEC

Quinta-feira, às 20h15, no Morumbi

Árbitro: Enrique Cáceres

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Hudson, Antonio Carlos, Edson Silva e Alvaro Pereira; Souza, Maicon, Ganso e Michel Bastos; Kaká e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

EMELEC: Dreer; Narvaéz, Achilier, José Luis Quiñónez e Bagüí; Pedro Quiñónez, Lastra e Giménez; Mena, Herrera e Bolaños. Técnico: Gustavo Quinteros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.