São Paulo tenta manter bom retrospecto contra os paraguaios

Time tricolor enfrenta o Sportivo Luqueño pela Libertadores, às 21h50, por vitória para garantir a liderança

Giuliano Villa Nova, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2008 | 20h05

O São Paulo jamais perdeu ponto para os adversários paraguaios quando atuou no Morumbi pela Libertadores (em quatro jogos, foram duas vitórias sobre o Olímpia e duas sobre o Cerro Porteño). Por isso, a ordem são-paulina é manter o retrospecto 100% nesta quarta-feira, quando o time recebe o Sportivo Luqueño, do Paraguai, em partida que começa a partir das 21h50, com transmissão do estadao.com.br. Veja também: Classificação  Resultados e calendário Com cinco pontos em três jogos disputados, o São Paulo está na liderança do Grupo 7 da Libertadores. E, se vencer nesta quarta-feira, ficará muito perto da classificação para as oitavas-de-final - o Sportivo Luqueño está com quatro pontos, o mesmo que o Atlético Nacional (Colômbia), enquanto o Audax Italiano (Chile) aparece com três. "Temos de ser um time equilibrado, como ocorreu em Bragança Paulista, no domingo passado", disse o técnico Muricy Ramalho, que elogiou a atuação são-paulina na vitória por 2 a 0 sobre o Bragantino, pelo Campeonato Paulista. "Temos de atacar, sem dar espaços, nem deixar um ‘buraco’ entre a defesa e o ataque." Mas a provável postura defensiva do adversário no Morumbi vai exigir muita paciência dos são-paulinos. "O Luqueño tem um esquema bem definido, não muda nem quando atua em casa", comentou Muricy, que pode escalar o meia-atacante Eder Luiz e aumentar o poder de fogo do time do São Paulo. Mas o lateral Eder, com atuações seguras na Libertadores, também tem chances de ser o titular. No mais, o time deve ser o mesmo que vem jogando, com destaque para a dupla de ataque formada por Borges e Adriano, que vivem boa fase. Os dois, inclusive, são os principais responsáveis por deixar o São Paulo em situação confortável no Paulistão - o time depende de uma simples vitória sobre o Juventus, domingo, no Morumbi, para ir às semifinais do campeonato. HORA DE DECISÃOO goleiro Rogério Ceni espera que a equipe do São Paulo tenha atitude e termine a semana de forma vitoriosa - passando pelo Sportivo Luqueño e terminando no Juventus. "Serão dois jogos para decidirmos nosso futuro este ano", admitiu o capitão são-paulino, que alerta para as qualidades do time paraguaio. "O conjunto deles é forte e na Libertadores, um detalhe faz diferença. Em 2006, na final (contra o Internacional), uma expulsão (do volante Josué) mudou tudo." São PauloRogério Ceni; Eder (Eder Luis), André Dias, Miranda e Richarlyson; Zé Luis, Fábio Santos, Hernanes e Jorge Wagner; Borges e AdrianoTécnico: Muricy RamalhoLuqueñoGarcía; Paniagua, Servín, Martínez e Román; Esquivel, Mereles, Núñez e Vargas; Da Silva e LazagaTécnico: Daniel LanataÁrbitro: Martín Vázquez (Uruguai)Estádio: Morumbi, em São PauloHorário: 21h50Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700 KhzTV: Globo O que mais anima o goleiro é a certeza de que o time do São Paulo está, aos poucos, encontrando a melhor formação - tanto que vem de três vitórias. "Melhoramos como um todo, passamos a marcar mais gols e a sofrer menos", afirmou Rogério Ceni. PROBLEMAA comissão técnica do São Paulo ainda não sabe por quanto tempo não terá o centroavante Aloísio, que torceu o tornozelo direito diante do Bragantino. Nesta quarta-feira, o jogador passará por novo exame, mas deve ficar ao menos quatro meses fora. E a diretoria do clube já se mobiliza para encontrar um substituto.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCCopa Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.