São Paulo tenta manter o embalo, apesar dos desfalques

Muricy espera que o padrão de jogo do time não mude mesmo sem Hernanes e Alex Silva, na seleção olímpica

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2008 | 19h21

As três vitórias seguidas - contra Palmeiras (2 a 1), Vitória (3 a 1) e Botafogo (2 a 1) - fazem com que os próprios jogadores do São Paulo reconheçam: o time embalou no Campeonato Brasileiro, embora ainda não tenha conseguido terminar uma rodada entre os quatro primeiros colocados. "A equipe está crescendo no momento certo", afirma o volante Zé Luís. Veja também: São Paulo encara série 'decisiva' no Brasileirão O desafio agora é manter o padrão de jogo mesmo com os vários desfalques já na partida contra o Internacional, nesta quarta-feira, o técnico Muricy Ramalho não poderá contar com Hernanes e Alex Silva, convocados para a seleção olímpica, além de Miranda e Borges, que estão contundidos e continuam de fora. "Vamos perder dois excelentes jogadores. Não adianta ser romântico e dizer que não vão fazer falta. Hoje não tenho outros dois jogadores como eles", reconhece Muricy, que ainda não sabe como vai fazer para escalar o time. Sua maior dor de cabeça é com a defesa, onde Miranda e Alex Silva eram os titulares absolutos. "O Alex tira tudo pelo alto. O Miranda é mais técnico. Vou ter que dar um jeito." Para a função, o São Paulo conta com André Dias e Juninho, que vêm atuando, além de Alex, que se recuperando de lesão, e Aislan, garoto que jogou apenas na segunda rodada do Brasileirão, contra o Atlético Paranaense, empate por 1 a 1 na Arena da Baixada. Os recém-contratados Rodrigo e Anderson até já têm condições físicas, mas só poderão atuar em agosto, pois foram contratados de clubes europeus. No meio-de-campo, o problema é substituir Hernanes à altura. "O Hernanes é um jogador diferenciado, o melhor do Brasil na posição", elogia o companheiro Zé Luís, que pode tanto atuar na posição como compor a defesa. Muricy sabe que o titular é praticamente insubstituível. "O Hernanes é um volante que sai para o jogo com muita qualidade. Não tenho um jogador parecido com ele no grupo", lamenta.  Richarlyson, que volta de suspensão automática, deve ser o outro volante, enquanto o garoto Jean vai aguardar uma oportunidade no banco de reservas. Mesmo que haja peças de reposição no setor, o time deve perder qualidade no passe. Hernanes participou de jogadas de gol nos últimos três jogos. "Vamos ter que mudar a característica do time. Não adianta", lamenta um resignado Muricy.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.