Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

São Paulo tenta superar 'trauma' do Morumbi diante da Ponte

Equipe sofreu duas derrotas seguidas em casa

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

29 Agosto 2015 | 07h00

As duas derrotas seguidas (Goiás e Ceará) transformaram os jogos no Morumbi em um pequeno trauma para o São Paulo. Por isso, a partida de hoje contra a Ponte Preta é uma chance de o time se reencontrar dentro de casa.

Um dos pontos de efervescência do Morumbi é o comportamento da torcida. Contra o Goiás, houve tentativa de agressão aos jogadores na saída do estádio; contra o Ceará, só o policiamento reforçado impediu novos tumultos. Para hoje, nem o técnico Juan Carlos Osorio sabe o que pode acontecer.

“Na América do Sul existe a tendência de cobrar quando o time perde, achando que é falta de comprometimento. Não nos falta raça, faltam outras coisas. Do torcedor, acredito que o certo é apoiar até acabar o jogo e depois cobrar. Mas não sei o que esperar”, disse.

O treinador acha que o time está aprendendo a lidar com os “adversários que se fecham e jogam por uma bola”, e afirma que o principal problema da equipe são as finalizações.

A escalação deve ter poucas mudanças em relação à partida com o Ceará. Osorio afirmou que vai diminuir o rodízio por falta de qualidade do elenco. “Quando o elenco é forte, é muito mais fácil para escalar um time e fazer um rodízio. Agora é difícil. Com todo respeito ao elenco, alguns jogadores não estão no mesmo nível. Isso me preocupa isso porque alguns estão cansados. Mas agora não tenho como fazer o rodízio.”

Mesmo com a possibilidade de ser negociado com o futebol inglês, Pato foi relacionado e será a referência na área. Centurión ou Wilder será o seu companheiro na frente. Carlinhos deverá ser mantido como ponta, pelo lado direito, e Thiago Mendes será o primeiro volante. Embora tenha sido considerado como desfalque por Osorio, o goleiro Rogério Ceni foi relacionado e fará um teste antes do jogo. A Ponte Preta não terá três dos seus principais jogadores: Pablo, negociado com o Bordeaux, Borges e Biro Biro, vetados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.