São Paulo terá apoio da torcida de Hernanes contra Sport

Time do Morumbi precisa vencer mais duas partidas para conquistar o título do Campeonato Brasileiro

27 de outubro de 2007 | 19h45

Hernanes estará praticamente em casa, no jogo deste domingo contra o Sport, às 16 horas, na Ilha do Retiro. Nascido no Recife, o jogador de 22 anos volta à cidade natal para um dos confrontos mais importantes do São Paulo no Campeonato Brasileiro - um triunfo deixa o time do Morumbi a apenas três pontos do quinto título nacional do clube. Titular do meio-campo são-paulino, o volante terá o apoio de amigos e familiares. "Vai vir muita gente torcer por mim, inclusive o pessoal que mora no interior de Pernambuco", comenta. "Não sei quantos serão, mas dá para lotar um ônibus", brinca. Veja também: Classificação Resultados / calendário O Santa Cruz foi o primeiro clube de Hernanes, que deu os primeiros chutes no time infantil de futsal. "Mas eu tinha simpatia, mesmo, pelo Sport", conta. Depois, o jogador se profissionalizou no Unibol e veio para o São Paulo em 2001. Por conhecer bem o futebol local, o são-paulino prevê dificuldades no duelo da Ilha do Retiro. "A torcida do Sport influencia muito, empurra o time para frente", comenta Hernanes. "Como eles também precisam da vitória, vão querer nos atrapalhar e não deixar que a gente fique perto do título", alerta. O técnico Muricy Ramalho avisou seus jogadores da pressão que o adversário pretende exercer. E exige um time compacto. "Ainda mais com o calor que estará na hora do jogo, é importante ser inteligente para atacar e ter organização, para não se desgastar à toa", comenta o treinador. Muricy só vai decidir a escalação da equipe horas antes do jogo. É certo que o treinador poderá contar com Miranda, Júnior, Jorge Wagner e Leandro, que foram preservados da derrota por 2 a 0 para o Millonarios, na última quarta-feira, pela Copa sul-americana. Rebaixamento Ameaçado de rebaixamento, o time do técnico Geninho precisa somar pontos o quanto antes para não ficar embolado próximo à zona de risco. Um castigo e tanto para um time que passou boa parte do Campeonato Brasileiro na zona de classificação para a Copa Sul-Americana. "Precisamos de mais seis pontos. Acho que com duas vitórias, 49 pontos, já escapamos. Acredito que seja possível escapar até com 48, 47 pontos", explicou o treinador. Geninho disse que, no aspecto psicológico dos jogadores, a semana foi diferente, porque sabem que vão precisar construir o resultado contra a melhor equipe do campeonato. Geninho disse ter treinado a equipe para se resguardar das jogadas aéreas do rival. "Vamos fazer de tudo para que o São Paulo não seja campeão aqui." O técnico disse também que o São Paulo dificilmente deixar de conquistar o título, porque se trata de uma equipe que manteve a regularidade em toda a competição. As demais oscilaram muito e por isso o rebaixamento ainda ameaça o Sport. "A última rodada foi muito ruim para nós. Como a diferença é pequena, a gente perdeu, os outros ganharam e nos ultrapassaram. Mas junto com o Sport tem uma turma. Tem um monte na mesma situação que a gente." O único desfalque do Sport será o volante Ticão, que já jogou após se recuperar de fratura no braço esquerdo mas voltou a reclamar de dores. Com isso, Bia entra no lugar dele. No ataque, Da Silva volta a fazer dupla com Carlinhos Bala.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.