São Paulo terá ?jogador do presidente?

Uma contratação polêmica. É isto o que o presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, prepara para reforçar o time de Emerson Leão, em 2005. No entanto, o dirigente não dá nenhuma pista sobre o tal "jogador do presidente", expressão que ele mesmo gosta de usar ao tratar do assunto. "Posição? Nacionalidade? Aí, vocês (jornalistas) já estão querendo saber demais", desconversa.O "jogador do presidente" não dependeria da aprovação de Leão, assim como os outros nomes que fazem parte da lista de reforços da diretoria do São Paulo."O treinador tem todo o direito de não gostar do jogador, mas quem decide isso (a contratação) é a diretoria", garante Gouvêa. "Eu quero o Leão aqui por mais cinco anos. Mas já pensou se deixamos de contratar e, de repente, o treinador vai embora por qualquer problema? Não podemos deixar a oportunidade passar." O próprio presidente reconhece que a contratação será outra surpresa da diretoria, assim como foi a chegada de Lugano, em 2003. Na época, a contratação do zagueiro uruguaio caiu como uma bomba. Além de desconhecido, Lugano veio sem o aval do então técnico Oswaldo de Oliveira. Apesar do investimento, o técnico desprezou o uruguaio pelo resto da temporada. Lugano só teve chance quando Roberto Rojas assumiu o lugar de Oswaldo.Por ironia, hoje Diego Lugano é uma das unanimidades no Morumbi e já até ganhou a confiança dos torcedores - passou a ser um dos ?intocáveis? de Leão. A surpresa de Gouvêa também não custaria nenhum absurdo aos cofres do clube. O presidente nem pensa em gastar "rios de dinheiro" para trazer um atleta que ainda dependeria da aceitação de Leão para jogar. E mesmo que fosse um jogador de renome, como por exemplo o argentino Tevez, contratado pela parceria Corinthians/MSI, o São Paulo não estaria disposto a investir pesado."Com US$ 22 milhões, eu contrataria uns cinco ou seis bons jogadores e ainda guardaria um dinheiro para tratar de algumas reformas no clube", admitiu o presidente.Apesar de não dar nenhuma pista, o "jogador do presidente" seria um meia ou, em última caso, um atacante. A defesa passou a ser a "menina dos olhos" de Gouvêa. Além de Fabão, Rodrigo e Lugano, ele faz questão de também elogiar os reservas Edcarlos e Alex.Para fortalecer o ataque, com a saída ou não de Grafite, Marcelo Portugal Gouvêa ratificou que Luizão é o primeiro nome da lista. "Assim que ele terminar o tratamento (no joelho direito) e o departamento médico der o sinal verde, nós sentaremos para conversar", diz.Restaria, somente, um jogador para o meio-de-campo. Um atleta sem características de volante, mas sim um que se apresente mais ao ataque para auxiliar Danilo. O desfecho do mistério, porém, só deverá acontecer no início de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.