São Paulo testa poder sem estrela solitária

O jovem time do São Paulo tem uma provade fogo, em Salvador, contra o Vitória, às 16 horas. Luta paramostrar que não é tão dependente de Luís Fabiano como parece.Nas últimas semanas, o atacante, que está suspenso, foi oprincipal responsável pela vitória sobre Fluminense e Coritiba,pelo empate diante do São Caetano e pela reação da equipe noCampeonato Brasileiro, no qual começou desacredita e agora jáocupa a segunda colocação, com 38 pontos. A expulsão na noite de quinta-feira, no fim do jogo diante doAtlético-PR, foi tão lamentada pelos são-paulinos quanto é umaderrota, uma eliminação. Todos sabem, no Morumbi, que sem LuísFabiano as chances de bom resultado diminuem consideravelmente."O Luís Fabiano é o ponto de referência do time, é artilheiro edefine um jogo", comentou o técnico Roberto Rojas. Os números tornam esse desfalque ainda mais sentido. Oartilheiro, de 22 anos, marcou 15 gols no Brasileiro ou quase odobro dos gols dos 11 jogadores do São Paulo que iniciarão apartida desta tarde. Juntos, os são-paulinos que vestirão acamisa tricolor fizeram 8, com Rogério (1), Jean (2), FábioSimplício (2), Rico (2) e Diego Tardelli (1). "Sem o LuísFabiano, vamos perder demais, não teremos nossa referência noataque e sentiremos falta de sua experiência", analisou ovolante Fábio Simplício. Os atletas admitem que, quando uma partida está complicada, asolução é levantar a bola na área para apostar numa cabeçada doartilheiro, numa bola dividida, numa finalização "espírita".Foi assim, num jogo que parecia perdido, que ele arrancou o golde empate contra o São Caetano, há duas semanas. Seu único ? ouprincipal ? defeito, que era o excesso de nervosismo em campo,havia sido solucionado com a ajuda de psicólogos. Mas, naquinta-feira, teve uma recaída. "Ele estava um pouco nervosomesmo", observou Marco Aurélio Cunha, superintendente deFutebol. O jogador vinha demonstrando irritação desde o início,não apenas no momento em que reclamou com o árbitro MárcioRezende de Freitas e acabou expulso. Ninguém, no entanto, sepreocupa com isso. Os são-paulinos acreditam que não passou deum momento de estresse. "Ele já estava um pouco nervoso porquea bola não chegava", lembrou Simplício. A grande preocupação de Rojas é manter o nível da equipe, quetem condições de assumir a liderança do Brasileiro nesta rodada.Para isso, precisa derrotar o Vitória e torcer por um tropeço doCruzeiro diante do Paraná, no Mineirão. O treinador optou pormanter Diego Tardelli entre os titulares e escolheu Rico comoseu companheiro de ataque. Fabiano volta à lateral-esquerdo eSimplício, ao meio-de-campo. Alexandre segue no time , poisCarlos Alberto está suspenso. Sua única dúvida é em relação aosubstituto de Gustavo Nery, também suspenso. Marco Antônio,recém-promovido do São Paulo B, luta com Kleber por uma vaga.

Agencia Estado,

19 de julho de 2003 | 16h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.