São Paulo traz 1 ponto de Criciúma

Passivo e com seu goleiro como destaque da partida. Assim foi o São Paulo no jogo de hoje, quando empatou por 1 a 1 com o Criciúma e "achou" um ponto no Campeonato Brasileiro. Aliás, o segundo da equipe do Morumbi na competição, que ainda não sabe o que é vencer. Até aqui foi um empate (2 a 2 diante do Juventude, na estréia, e derrota por 4 a 2 para o Cruzeiro). Na quinta-feira, os paulistas recebem o Fortaleza, às 20h30, no Morumbi. Raros são-paulinos não ficaram entusiasmados com a performance da equipe nos primeiros minutos. Marcação forte na saída de jogo e pressão sobre o adversário. A conseqüência foi natural. Logo aos seis minutos a bola partiu da defesa e encontrou Luís Fabiano em posição legal e livre de marcação na intermediária ofensiva. O artilheiro avançou, passou pelo goleiro Fabiano, driblou um zagueiro e tocou para o gol vazio. O que parecia ser prenúncio de uma tarde vitoriosa, recheada de gols, marcou a retração são-paulina. Por mais absurdo que possa parecer, o gol fez mal ao São Paulo. O time recuou e acabou dominado pelos donos da casa, a ponto de o goleiro Roger destacar-se. Contudo, a cinco minutos do final da primeira etapa, Fábio Simplício não acompanhou a avançada do lateral Luciano Almeida, que tocou no canto esquerdo de Roger. E a virada só não aconteceu porque o juiz mineiro Alício Pena Júnior não marcou toque de Fabiano com o braço na bola, dentro da área. Porém, para quem achou que a tendência da partida seria de os times diminuírem o ritmo, enganou-se. Foram 45 minutos de tensão. Prova disso foram os 12 cartões amarelos distribuídos, dois dos quais de transformaram em vermelho (Rico e Dejair). O Criciúma manteve o domínio e Roger o bom desempenho sob as traves são-paulinas. O time do técnico Oswaldo de Oliveira restringia-se aos contra-ataques. Em um desses, Reinaldo foi deslocado dentro da área e conseguiu a marcação do pênalti. Luís Fabiano, que levou o terceiro cartão amarelo e está suspenso, cobrou, mas Fabiano defendeu. No caso de Oliveira, de duas, uma. Ou o treinador estava satisfeito com o empate ou demorou para mexer na equipe. No primeiro tempo teve de substituir Souza, machucado, por Rico. Reinaldo acabou deslocado para o meio. Contudo, na etapa final, alterou o time apenas aos 44, quando substituiu Reinaldo por Cléber. No último minuto, os catarinenses quase chegaram à vitória. Cametá, de cabeça, acertou o travessão.Ficha TécnicaCriciúma: Fabiano; Paulo Baier, Cametá, Luciano e Luciano Almeida; Cléber Gaúcho (Alexandre), Juca, Paulo César e Dejair; Guilherme (Tico) e Delmer (Saulo). Técnico: Edson Gaúcho.São Paulo: Roger; Fábio Simplício, Jean, Gustavo Nery e Fabiano; Adriano, Júlio Baptista, Souza (Rico) e Ricardinho; Reinaldo (Cléber) e Luís Fabiano. Técnico: Oswaldo de Oliveira.Gols: Luís Fabiano aos 6 e Luciano Almeida aos 40 minutos do primeiro tempo.Árbitro: Alício Pena Júnior (MG).Cartão vermelho: Rico e Dejair.Cartão amarelo: Cametá, Adriano, Luís Fabiano, Paulo César, Fabiano, Reinaldo, Fábio Simplício, Paulo Baier e Gustavo Nery e Luciano Almeida.Local: Heriberto Hulse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.