Divulgação / São Paulo
Divulgação / São Paulo

São Paulo troca veteranos por garotos e deve rejuvenescer em 2019

Contratações feitas até agora foram de jogadores na casa dos 20 anos; com Jardine, jovens de Cotia ganham espaço

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

07 Dezembro 2018 | 05h00

O São Paulo que começará a temporada 2019 deverá ter menos linhas de expressão no rosto do que o do início de 2018. Apostando na contratação de jovens talentos em detrimento de atletas já rodados e com André Jardine, técnico que passou três anos na base do clube, no comando, a tendência é ver um elenco rejuvenescido.

Até agora, a diretoria anunciou a chegada de dois reforços: os laterais Igor Vinícius, de 21 anos, e Léo, de 22. A título de comparação, a primeira aquisição para a temporada 2018 foi Edimar, na época com 31. Depois, viriam em janeiro Diego Souza (32), Nenê (36), Anderson Martins (30) e Tréllez (28), que se juntavam a um grupo já composto por Sidão (35), Jucilei (29), Petros (28), e Cueva (26).

A média de idade de 25 anos do time-base que iniciou 2018 só não era maior porque Éder Militão, então com 20, e Marcos Guilherme, com 22, ajudavam a puxar para baixo o número.

Há duas explicações para a mudança de foco. A mais óbvia delas: após contratar tanta gente experiente, a ideia é mesclar o elenco com quem está começando. Não faria sentido trazer mais "veteranos" para temporadas desgastantes que podem durar em torno de 80 jogos, dependendo do desempenho da equipe.

A outra é a presença de André Jardine no comando técnico. Multicampeão quando treinou o sub-20 tricolor, ele conhece como poucos as fornadas que saíram nos últimos anos de Cotia, sede das divisões inferiores do São Paulo. Já ao longo deste ano, como auxiliar de Diego Aguirre, foi peça fundamental na promoção de alguns talentos lapidados pelo clube, como os volantes Luan, de 19 anos, e Liziero, 20.

Posteriormente, subiriam ainda Helinho, 18 anos, Antony, 18, Igor Gomes, 19. O primeiro já ganhou espaço no time titular na reta final do Campeonato Brasileiro. Os outros treinam diariamente no CT da Barra Funda com os profissionais, assim como Brenner, 18, e Pedro Bortoluzo, este um pouco mais "velho": tem 22.

No fim de novembro, a equipe sub-23 conquistou o Brasileirão de Aspirantes, o que reforça a tendência da diretoria de apostar nas caras novas criadas em casa. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.