REUTERS/Pablo Sanhueza
REUTERS/Pablo Sanhueza

São Paulo supera três expulsões, segura Católica e consegue boa vitória em Santiago

Comandados de Rogério Ceni fazem primeiro tempo perfeito e encaminham vaga nas quartas de final da Sul-Americana

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2022 | 23h37

Era para ter sido muito mais fácil, mas em um jogo onde a equipe atuou muito bem, de forma consistente, o São Paulo conseguiu se complicar – três expulsões quase colocaram tudo a perder. No Chile, contra um adversário que até os cartões vermelhos para o time brasileiro apresentava um futebol medíocre, a equipe de Rogério Ceni poderia ter atropelado a Universidad Católica, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. No fim, a vitória por 4 a 2 acabou sendo um ótimo resultado para o time.

Com a vitória, o time tricolor deu grande passo para as  quartas de final do torneio continental – só uma desastrosa derrota em casa (o jogo da volta será no Morumbi na quinta-feira, dia 7 de julho, às 21h30) por três ou mais gols de diferença eliminará a equipe da competição. Se a Universidad Católica vencer por dois gols de vantagem, o classificado será definido em cobranças de pênalti. Derrota por um gol de diferença, empate ou qualquer vitória garantem o time de Rogério Ceni na próxima fase.

Os gols do São Paulo foram marcados por Reinaldo, de pênalti, por Luciano, que marcou dois gols ainda na primeira etapa e voltou a balançar as redes após um longo jejum, e por Calleri, que fez um golaço no segundo tempo. 

O torcedor do São Paulo poderá muito bem considerar que o árbitro uruguaio Christian Ferreyra e o VAR (Árbitro de Vídeo) complicaram as coisas para a equipe brasileira. Na segunda etapa, Igor Vinícius, Rodrigo Nestor e Calleri foram expulsos. Das três expulsões, apenas a de Nestor pode ser considerada como acertada. Nos outros dois casos, a arbitragem aplicou dois cartões amarelos bem discutíveis para os são-paulinos, que culmiram com as expulsões.

O resultado foi extremamente importante para o time de Rogério Ceni por vários motivos. O primeiro, o mais óbvio, é o encaminhamento da classificação para a próxima fase da Copa Sul-Americana, torneio que o clube luta pelo seu segundo título, dez anos após a conquista em 2012.

Outro ponto é que, com a expressiva vitória, Rogério Ceni poderá se dar ao luxo de até conseguir poupar alguns de seus principais jogadores, dando um fôlego para o elenco na disputa dos três torneios em que o clube disputa – o técnico já não poderá contar com Igor Vinícius, Rodrigo Nestor e Calleri, que receberam o cartão vermelho e estão fora da partida do Morumbi.

Além de ter vencido a primeira partida das oitavas de final da Sul-Americana contra a Universidad Católica, o São Paulo também está nas oitavas de final da Copa do Brasil – venceu o Palmeiras por 1 a 0 no jogo de ida, no Morumbi, e voltará a enfrentar o Alviverde no próximo dia 14, no Allianz Parque.

No Brasileirão, o São Paulo está com 19 pontos, dez atrás do líder Palmeiras. O time vive um momento de instabilidade na competição nacional. Depois de vencer o América-MG por 1 a 0 no Morumbi, o time perdeu para Botafogo e Palmeiras e não passou de um empate sem gols contra o Juventude.

No Chile, o São Paulo foi fatal na primeira etapa. Com menor posse de bola, o time ganhou divididas importantes, não se deixou ser pressionado e acelerou o jogo quando quis. Das sete oportunidades de gol nos primeiros 45 minutos, o time acertou o gol em quatro chances – três bolas foram parar dentro do gol chileno.

O primeiro gol surgiu após Daniel González cometer um pênalti infantil ao acertar uma cotovelada na cabeça de Calleri. Aos 15 minutos, Reinaldo bateu seu 22.º pênalti pela equipe e converteu o seu 21.º gol – seu único erro foi em uma derrota para o Goiás por 1 a 0 no Morumbi, em jogo válido pelo Brasileirão de 2019.

Após manter o domínio da partida, o São Paulo chegou ao segundo gol aos 28, em uma falha bizarra do lateral-direito Isla, ex-Flamengo. Após Jandrei fazer ótimo lançamento para Calleri na ponta esquerda do campo, o jogador chileno ganhou a frente, mas girou para dentro da área e perdeu o tempo da bola. O atacante argentino foi mais rápido e só tocou para Luciano ampliar – 2 a 0.

Os chilenos não conseguiam chegar com perigo e o São Paulo fez mais um, de novo com Luciano. Em boa jogada pela esquerda, Reinaldo tocou para o atacante no comando. Ele girou em cima da marcação e saiu de frente para Pérez e bateu forte, no alto, sem chances para o goleiro, decretando o terceiro gol dos brasileiros.

O segundo tempo começou movimentado. Logo no primeiro minuto, a Universidad Católica, com o centroavante Zampedri, livre dentro da área. Pouco tempo depois, o São Paulo ficou com um jogador a menos em campo.

 Aos cinco minutos, Igor Vinícius, que já tinha cartão amarelo, trombou com Fuenzalida e o árbitro uruguaio Christian Ferreyra expulsou o jogador brasileiro.

Por cerca de dez minutos, a Universidad Católica fez uma pressão em cima do São Paulo. Rogério Ceni foi feliz logo na sua primeira substituição. Ele sacou o atacante Luciano e colocou em campo o meia Patrick, saindo do esquema 3-5-2 e passando a atuar com duas linhas de quatro jogadores e apenas Calleri à frente.

Em uma de suas primeiras jogadas, Patrick recebeu na esquerda, foi à linha de fundo, aplicou uma caneta em seu marcador e cruzou rasteiro para a área. Igor Gomes apenas rolou a bola para Calleri, que de primeira mandou a bola no canto esquerdo alto de Pérez para marcar o quarto gol do São Paulo – um lindo gol.

 

Só que o São Paulo, com uma vantagem larga fora de casa, conseguiu ter mais um jogador expulso. Após ser acionado pelo VAR (Árbitro de Vídeo), a arbitragem aplicou o cartão vermelho para Rodrigo Nestor, que foi flagrado pisando em Nuñez.

A partir dos 30 minutos, com dois a menos em campo, o São Paulo tratou de se defender. Mas em um vacilo de Léo, a Universidad Católica diminuiu. Aos 41, Tapia roubou a bola de Léo e cruzou na medida para Valencia cabecear sem chances para Jandrei.

O problema é que no minuto seguinte, Calleri fez mais uma falta dura e mais um jogador do São Paulo recebeu o segundo amarelo e por consequência acabou expulso. Com oito em campo, o jogo ficou dramático para o time de brasileiro.

Ceni mandou Pablo Maia a campo, na tentativa de frear os chilenos. Jandrei fazia toda a cera que podia e o chileno Parot perdeu um gol incrível perto dos 50 minutos. No fim, o jogo ficou mesmo nos 4 a 2 para o São Paulo, que mesmo com as três expulsões, traz para o Brasil um resultado muito positivo.

FICHA TÉCNICA:

UNIVERSIDAD CATÓLICA 2 x 4 SÃO PAULO

GOLS: Reinaldo, aos 15, Luciano, aos 28 e aos 39 minutos do primeiro tempo; Zampedri, aos 2, Calleri, aos 18, Valencia, aos 41 minutos do segundo tempo.

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Pérez; Buruaga, González e Cuevas (Orellana); Isla, Aued (Tapia), Núñez, Saavedra (Gutiérrez) e Parot; Fuenzalida (Valencia) e Zampedri. Técnico: Ariel Holan.

SÃO PAULO: Jandrei; Diego Costa, Miranda e Léo; Igor Vinícius, Gabriel Neves (Pablo Maia), Igor Gomes, Rodrigo Nestor e Reinaldo (Luizão); Luciano (Patrick) e Calleri. Técnico: Rogério Ceni.

JUIZ: Christian Ferreyra (URU).

CARTÕES AMARELOS: González, Igor Vinícius, Calleri, André Anderson, Reinaldo, Zampedri, Luciano e Pablo Maia.

CARTÕES VERMELHOS: Igor Vinícius, Rodrigo Nestor e Calleri.

RENDA E PÚBLICO: Não divulgados.

LOCAL: Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago (Chile)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.