Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

São Paulo usa Paulista como laboratório para a reformulação do clube

Poucos reforços e mudança de estilo marcam nova era da equipe

O Estado de S. Paulo

30 Janeiro 2016 | 07h00

O São Paulo quer colocar à prova a sua reformulação. Após perder Ceni, Luis Fabiano e Alexandre Pato, a equipe tenta se reinventar com poucos reforços e uma mudança no estilo de jogo. A diretoria trouxe Lugano e o técnico argentino Edgardo Bauza em uma clara demonstração de que o foco será arrumar a defesa. O torcedor verá em campo um time mais cadenciado, paciente e com muita posse de bola. O técnico gosta do 4-2-3-1 e cobra dos jogadores polivalência, posicionamento e marcação. A principal chegada foi o uruguaio Lugano, motivada pela idolatria da torcida e pelo perfil de líder. O zagueiro ainda estava na primeira passagem pelo São Paulo quando o time conquistou pela última vez o Paulista, em 2005, e agora terá papel fundamental para comandar uma equipe sob pressão da torcida pelo jejum de títulos importantes.

Quem saiu

Edson Silva (zagueiro)

Luis Fabiano (atacante)

Alexandre Pato (atacante)

Lugano chega ao São Paulo em 2016 como principal reforço da temporada

 

Quem chegou

Lugano (zagueiro)

Mena (lateral-esquerdo)

Kieza (atacante)

Calleri (atacante)

 

Time-base: Dênis; Bruno, Lugano, Breno e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Michel Bastos, Ganso e Centurión; Kardec.

Técnico: Edgardo Bauza. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.