José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

São Paulo vai a campo contra Sport sem os seus astros principais

Pode ser a última chance para nomes como Osvaldo e Ademilson mostrarem que podem ser úteis na próxima temporada

Fernando Faro e Monica Bernardes, Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2014 | 08h45

Com o vice-campeonato assegurado, enfrentar o Sport, neste domingo, 7, às 17 horas (de Brasília), na Arena Pernambuco, no Recife, pela 38.ª e última rodada do Brasileirão, se tornou apenas um treino de luxo para o São Paulo. Desta forma, o resultado da partida será pouco importará para a equipe.

A rigor, a temporada terminou informalmente no último fim de semana, quando a goleada sofrida pelo Corinthians para o Fluminense garantiu ao clube tricolor a vaga direta na Copa Libertadores do ano que vem. Desde então o elenco se divide entre sessões leves de treinamento com confraternizações para celebrar o término do ano que marcou a ressurreição do time após o rendimento ruim em 2013.

Desta forma, o confronto deste domingo só terá valor como laboratório para 2015. O técnico Muricy Ramalho já indicou que escalará uma equipe praticamente inteira reserva para observar atletas com menos oportunidades no elenco. Nem mesmo o goleiro Rogério Ceni, reconhecido como "fominha" por querer estar sempre em campo, será aproveitado. "Não o deixo entrar no avião", afirmou o treinador, com bom humor. Kaká é outro que nem viajou. Alvaro Pereira e Paulo Henrique Ganso cumprem suspensão.

A atmosfera de amistoso, no entanto, não deverá ser vista em campo. Muricy Ramalho espera que os jogadores mostrem gana para cavar um lugar no ano que vem e deve repetir a estratégia adotada contra o Santos, quando montou o time com atletas que jogaram pouco e ainda assim conseguiu a vitória por 1 a 0 em Cuiabá. "Por mais que esse jogo não tenha uma importância em termos de pontos, vale porque é o São Paulo em campo e tenho de fazer observações. Não levaremos todos os titulares, mas a maioria estará lá. Vão os que a gente acha que precisam ter uma oportunidade", afirmou o treinador.

Pode ser a última chance para nomes como Osvaldo e Ademilson mostrarem que podem ser úteis na próxima temporada, quando o time tricolor voltará a disputar a Libertadores e terá um grupo complicado pela frente. Como é tradicional a cada fim de ano, o elenco será avaliado e algumas peças chegarão enquanto outras serão negociadas.

Quem deve ganhar uma oportunidade é Maicon, que se recuperou de lesão no joelho e está apto a jogar. A tendência é que ele comece no banco pelo tempo de inatividade.

SPORT

No pelotão intermediário do Brasileirão, o Sport não tem nada a disputar na última rodada. Mas quer se despedir do campeonato com uma vitória.

Ao contrário de outros times que já não disputam mais nada na última rodada e resolveram poupar alguns titulares, o Sport terá força máxima neste domingo. O técnico Eduardo Baptista adiantou que vai repetir a escalação que "vem dando certo". A única mudança é o retorno do meio-campista Danilo, que cumpriu suspensão na última rodada e ocupará a vaga de Wendel.

"O grupo todo está muito motivado para terminar o ano bem. Fizemos uma grande temporada e acredito que a torcida vai encher a Arena Pernambuco para comemorar conosco o fechamento de um ano tão especial. Espero que a gente consiga vencer o forte time do São Paulo para coroar nosso momento na competição", disse o goleiro Magrão, um dos líderes do elenco do Sport. 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSão Paulo FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.