Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

São Paulo vai à luta contra o Internacional para sair da crise

Há dez jogos sem ganhar e derrotado nas últimas sete partidas, o time recebe o time gaúcho esta noite no Morumbi

FERNANDO FARO , O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2013 | 07h35

SÃO PAULO - A pior sequência de derrotas e a mais grave crise da história fazem qualquer pessoa racional apontar uma vitória do São Paulo sobre o Inter nesta quarta-feira no Morumbi como bastante improvável, mas não existe alternativa para o time a não ser vencer, nem que seja jogando mal. Se tropeçar mais uma vez em casa, o Tricolor ficará na 16.ª posição com oito pontos, mas com dois jogos a mais do que os times que estão na zona de rebaixamento (e três a mais que a Ponte, primeira na zona da degola).

Os jogadores tentam se apegar a algum ponto positivo, mas reconhecem as enormes dificuldades. “Amanhã é o dia, é o próximo jogo. Não temos gordura para queimar, é praticamente a última chance, é ganhar ou ganhar. Sem desespero, mas com a cabeça. Não tem outra coisa a se fazer”, afirmou Luis Fabiano. O tom do discurso do atacante mostra a enorme ansiedade que tem tomado conta dos jogadores nas últimas semanas.

A meta é conquistar quatro pontos nos próximos dois jogos - depois do Inter, o Tricolor enfrentará o Corinthians. Embora a pontuação possa não ser suficiente para tirar o time da zona de rebaixamento no período de viagem (amistosos na Alemanha e Japão), o elenco ao menos acredita que isso seria um importante fator de motivação.

A primeira barreira a ser superada no Morumbi é a psicológica. Paulo Autuori tem dedicado boa parte dos treinamentos a conversas individuais com os atletas na tentativa de transmitir confiança ao grupo, sem esquecer dos exercícios de posicionamento feitos à exaustão e que, até aqui, pouco efeito surtiram. O time continua dando espaços enormes para o adversário jogar e é castigado com gols tolos. E quando fica em desvantagem no placar, se abate e não mostra poder de reação.

Apesar dos vacilos e de ter indicado que poderia até fazer alterações para o duelo, o treinador decidiu manter o time que perdeu para o Cruzeiro sábado e aposta na repetição para conseguir dar um padrão à equipe.

Dessa forma, “medalhões” que não vêm rendendo o esperado - casos de Lúcio, Ganso e Luis Fabiano - começarão jogando.

“Precisamos dar um algo a mais, todos nós. O grupo todo está devendo”, reconheceu o artilheiro.

DÚVIDAS

Dunga vai ao Morumbi com pelo menos duas ausências confirmadas. Índio e Gabriel, ambos com problemas físicos, estão vetados. A grande dúvida diz respeito ao aproveitamento de Leandro Damião, recuperado de uma lesão muscular. A tendência é que ele inicie a partida no banco. “É arriscado demais”, disse Dunga sobre a possibilidade de escalar Damião entre os titulares.

Quarto colocado, o Colorado chegará aos 18 pontos e assumirá a liderança se vencer o São Paulo. A equipe terá um jogo a mais que Coritiba, Botafogo e Cruzeiro - os três que estão à frente.

SÃO PAULO X INTER

São Paulo: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Clemente Rodríguez; Denílson, Rodrigo Caio, Jadson e Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Paulo Autuori.

Inter: Muriel; Ednei, Ronaldo Alves, Juan e Kleber; Willians, Josimar, Fabrício e D'Alessandro; Jorge Henrique e Forlán. Técnico: Dunga.

Juiz: André Luiz de Freitas Castro

Local: Morumbi

Horário: 21h

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.