São Paulo vence a primeira no Rio-SP

Com outra grande exibição do atacante França, o São Paulo venceu o Guarani, por 3 a 2, nesta quarta-feira à noite, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Esta foi a primeira vitória do Tricolor no Torneio Rio-São Paulo. A equipe soma quatro pontos, mesmo número do Guarani, que sofreu sua primeira derrota. O jogo começou equilibrado com os dois times se respeitando mutuamente. Ambos adotaram o esquema 3-5-2, mas com uma diferença fundamental: o São Paulo tinha dois atacantes - Reinaldo e França - rápidos e inteligentes. A história mudou aos 19 minutos, quando França abriu o placar. Ele só completou o cruzamento forte e rasteiro do ala direito Gabriel, que teve o mérito de arquitetar a jogada. A bola cruzou toda a defesa para cair no pé certeiro de França. Na saída de jogo, o São Paulo recuperou a bola e o meia Souza lançou França em velocidade. Ele ganhou da defesa, entrou na grande área e tocou com categoria para fazer 2 a 0, aos 20 minutos. Mesmo com ampla vantagem no placar, o São Paulo tocou a bola, temendo a reação adversária. Mas o Guarani sentiu muito os gols e pouco ameaçou o goleiro Rogério Ceni, que praticou uma grande defesa, quando tirou com os pés um chute de Dudu. Para complicar a situação do técnico Zé Mário, do Guarani, o veterano Caio saiu machucado aos 41 minutos, deixando um enorme vazio no meio-campo. Mas o Guarani voltou para o segundo tempo determinado a mudar a história do jogo. O time diminuiu os espaços do São Paulo, assumindo as ações do meio-campo. A tarefa ficou facilitada com a expulsão de Jean, após um carrinho desleal sobre Marcinho, aos 19 minutos. O Guarani, porém, sentiu a falta de um especialista na finalização. Mesmo assim, marcou o primeiro gol com Dudu, aos 34 minutos, depois de receber passe de Guilherme. O técnico Nelsinho Baptista já tinha reforçado seu sistema defensivo com a entrada de Lúcio Flávio no lugar de Souza e depois com Júlio Batista no lugar de França. Uma substituição arriscada, que só não foi percebida por causa da grande cobrança de falta do goleiro Rogério Ceni, que fez 3 a 1, aos 36 minutos. O Guarani, na base do tudo ou nada, diminuiu com Martinez, também cobrando falta aos 37 minutos. Os últimos minutos foram de total pressão do time da casa, que lamentou muito a derrota. A paz está de volta ao Morumbi.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2002 | 22h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.