São Paulo vence clássico com o Palmeiras e se reabilita

Lucas e Fernandão são os jogadores a quem o torcedor do São Paulo deve agradecer. A dupla de ataque fez os gols que valeram a vitória por 2 a 0 no clássico contra o Palmeiras, neste domingo, no Pacaembu, aliviando a pressão até o próximo jogo pelo Campeonato Brasileiro e empurrando a crise para o lado alviverde.

MILTON PAZZI JR., Agência Estado

19 de setembro de 2010 | 18h48

O triunfo levou o time são-paulino aos 31 pontos, agora na parte de cima da tabela, mas ainda longe dos primeiros colocados. No entanto, o resultado ainda não encerra a desconfiança sobre o técnico interino Sérgio Baresi, já que a equipe vinha de duas derrotas seguidas antes de se reabilitar - a última para o Internacional, em casa.

O Palmeiras, por sua vez, se vê novamente derrotado após conseguir uma boa vitória pela última rodada, sobre o Grêmio, fora de casa. A equipe do técnico Luiz Felipe Scolari continua com 29 pontos, na metade de baixo da classificação, mas ainda longe da zona de rebaixamento. A vaga na Copa Libertadores do ano que vem, porém, segue distante.

O JOGO - No clássico, não faltaram reclamações dos palmeirenses. Até o técnico Felipão exagerou: foi expulso com 26 minutos por reclamar erroneamente que a barreira deveria estar a 11 metros numa cobrança de falta (9,15 metros é a distância certa). O árbitro paulista José Henrique de Carvalho não tolerou as críticas e colocou para fora o treinador, que demorou vários minutos para sair de campo.

De bola rolando mesmo, o primeiro tempo teve pouco, apesar dos seis minutos de acréscimo pelo excesso de reclamações e faltas. Apenas dois lances foram dignos de registro. Aos 16 minutos, Ilsinho fez boa jogada e lançou Jean, que chutou cruzado, mas para fora. E aos 35, num chute fraco de Valdívia, Rogério Ceni fez a defesa tranquila.

No segundo tempo, a história mudou um pouco. O jogo melhorou tecnicamente com a necessidade de ambos em buscar a vitória. E foi aí que, em dois contra-ataques rápidos, o São Paulo conseguiu chegar aos gols.

O primeiro foi aos dez minutos. Lucas, que até esta semana era chamado de Marcelinho e decidiu abandonar o apelido, foi lançado. Mesmo pressionado pela marcação palmeirense, ele conseguiu o chute da entrada da área. O arremate foi no canto alto do gol, sem chances para Deola.

O segundo gol são-paulino saiu quando o time já tinha mais volume de jogo. Lucas deu um belo passe para Fernandão, no meio da área. O atacante dominou e chutou cruzado, no canto direito de Deola. O goleiro palmeirense ainda tocou na bola, mas não o suficiente para evitar os 2 a 0, aos 31 minutos do segundo tempo.

Em desvantagem, o Palmeiras seguiu tendo dificuldade para finalizar com perigo. Quando chegava, parava no goleiro Rogério Ceni, que não teve muito esforço para defender as poucas bolas que o adversário chutou em seu gol, a maioria para fora.

SEQUÊNCIA - Pela 24.ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras enfrenta o lanterna Prudente na quarta-feira, às 19h30, fora de casa. Tinga e Valdivia estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Já o São Paulo, no mesmo dia e horário, recebe o Guarani no Morumbi.

Ficha técnica:

Palmeiras 0 x 2 São Paulo

Palmeiras - Deola; Vítor, Maurício Ramos, Danilo e Fabrício (Patrik); Pierre, Márcio Araújo (Luan), Marcos Assunção e Valdivia; Ewerthon (Tinga) e Tadeu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

São Paulo - Rogério Ceni; Rodrigo Souto, Alex Silva (Renato Silva) e Miranda; Ilsinho (Zé Vítor), Casemiro, Jean, Jorge Wagner e Richarlyson; Lucas (Dagoberto) e Fernandão. Técnico: Sérgio Baresi (interino).

Gols - Lucas, aos dez, e Fernandão, aos 31 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Pierre, Tinga, Marcos Assunção e Valdivia (Palmeiras); Jorge Wagner, Richarlyson, Casemiro, Zé Vitor e Miranda (São Paulo).

Árbitro - José Henrique de Carvalho (SP).

Renda - R$ 417.675,00.

Público - 16.009 pagantes.

Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.