São Paulo vence e encosta no Cruzeiro

Rojas mudou o São Paulo no segundo tempo e foi o grande responsável pela vitória por 2 a 0 diante do Atlético Paranaense, hoje à noite no Morumbi. O resultado mantém o time na segunda colocação do Brasileiro, agora com 38 pontos - o Cruzeiro está com 40. O lado negativo foi a expulsão infantil de Luís Fabiano. Ele ficará fora da partida de domingo contra o Vitória, em Salvador. A carreata das torcidas uniformizadas por Rojas, a boa campanha no Brasileiro, a inesperada venda de Kléberson, o melhor jogador do adversário. Vadão, suspenso, não poderia ficar no banco. Os indícios eram ótimos aos paulistas. No início da partida, Rogério Ceni foi personagem importante. O veterano goleiro falhou em duas saídas e Ricardinho e Ivan perderam gols fáceis. Em compensação, Ceni salvou quando Rodrigo conseguiu ficar cara a cara com ele. Os sustos e mais a fortíssima marcação paranaense conseguiram desanimar a torcida. A esperada dupla Diego e Luís Fabiano não conseguia render o que todos esperavam. Por terem as mesmas características: atuar enfiados na frente, dependiam demais dos laterais. Enquanto Leonardo se esforçava, Jorginho Paulista era uma grande decepção. Substituindo o suspenso Fabiano, ele não se arriscava a ir para a linha de fundo. Acabava prejudicando o time. A marcação dos paranaenses estava facilitada. Luís Fabiano não conseguia se movimentar e nem tinha as chances a que estava acostumado. Estava irritado com isso e não escondia. Para evitar críticas ao técnico ou aos companheiros, se acusava: "Não estou bem. Não consigo render o que posso", dizia, deixando claro a insatisfação. Rojas foi ousado no intervalo. Trocou Jorginho que não estava produzindo nada de útil e colocou Rico. Como o Atlético não deixava ninguém fixo na frente, Gustavo Nery recuou um pouco pelo setor esquerdo. Assim, o São Paulo passou a atuar no 4-3-3. Vadão não esperava essa postura de Rojas. O segundo tempo foi muito mais movimentado. O São Paulo conseguia tocando a bola e seus ataque passaram a ocorrer dos dois lados do campo. Ficou mais difícil defender. Os torcedores que apostavam em Diego tiveram de bater palmas para Rico. Aos 17 minutos, Leonardo cruzou, Carlos Alberto chutou colocado. David salvou em cima da risca, porém a bola sobrou para Rico que bateu de primeira: 1 a 0, São Paulo. O gol trouxe alívio ao torcedores e abateu os paranaenses. O time de Rojas dominava o meio-de-campo e poderia até ampliar, quando Luís Fabiano tomou cartão amarelo por reter a bola. Discutiu com Márcio Rezende e foi expulso, aos 38 minutos. Rogério Ceni, escaldado com as punições pela tevê, quase arrastou o atacante para fora do campo. Mas o susto dos torcedores acabou aos 43 minutos. Marco Antônio cobrou falta para Gustavo Nery que chutou sem jeito, mas a bola bateu na trave esquerda e entrou - 2 a 0. Valiosa vitória.

Agencia Estado,

17 de julho de 2003 | 22h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.