São Paulo vence e mantém a liderança

O melhor ataque do campeonato paulista teve dificuldades para furar o bloqueio hoje da pior defesa. Mas graças ao goleiro Rogério Ceni, o São Paulo venceu o Rio Branco por 1 a 0 e aumentou sua distância para os clubes que o perseguem na liderança do Paulistão. O goleiro fez o único gol da partida em cobrança de pênalti, aos 28 minutos do segundo tempo. Foi seu 37º gol na carreira, o quinto de pênalti. Rogério encheu o pé na cobrança para mostrar ao companheiro Diego Tardelli como se faz, pois o atacante teve sua chance na primeira parte do jogo e errou, num toque sutil por baixo da bola. Foi vaiado ao deixar o campo. "O Rio Branco foi aguerrido do começo ao fim da disputa. O placar foi apenas de 1 a 0, mas ele vale três pontos do mesmo jeito. Sobre minha cobrança do pênalti, não podemos dar chance para o azar. Quando precisamos do resultado, temos de soltar o pé", disse, ainda no gramado, dando uma alfinetada em Diego Tardelli. A liderança no Paulista está mais do que segura nas mãos do Tricolor. Com a vitória de hoje no Morumbi, o time de Leão chegou a 32 pontos - sete a mais que o segundo colocado, o Mogi Mirim, e oito na frente do Santos. Mogi e Santos entram em campo amanhã. Apenas 11 mil torcedores foram prestigiar o São Paulo hoje. E não gostaram do que viram. Pudera. Os cascudos do técnico Leão tiveram dia de Cinderela. Talvez cantando vitória antes do tempo, os tricolores fizeram um jogo sobre os saltos. O episódio que coroou essa atuação foi o pênalti perdido por Tardelli, aos 46 minutos de jogo. O atleta até que marcou na primeira tentativa, batendo forte, como se deve, mas o árbitro Marcelo Krochmalnik viu invasão na área e o mandou repetir a cobrança. Aí Tardelli inventou. A batida forte da primeira vez foi trocada por um ?totozinho? por cobertura. Matou o goleiro e o técnico Leão de raiva, pois a bola passou por cima do gol. "Bati novamente, como o juiz mandou, mas fui dar uma ?cavadinha?, e errei", disse o atacante, no intervalo da partida. O torcedor que não é bobo nem nada, não poupou o artilheiro do seu time na temporada e o vaiou ao ser substituído por Welber. Foi por terra a pretensão do atleta de marcar um gol por jogo. O São Paulo errou muito passes. Teve Cicinho e Júnior mais soltos, mas eles pouco fizeram. O lateral-direito foi um pouco melhor. A defesa do Rio Branco esteve bem posicionada até o fim. O primeiro tempo quase não teve oportunidades de gol. Nenhum dos lados. O segundo tempo foi até mais equilibrado. O São Paulo não se achava. Leão mudou algumas peças e o sistema do time, do 3-5-2 para o 4-4-2. Aos 26, Welber foi derrubado por Chicão na área. O juiz correu apontando bola para o Rio Branco, mas acabou marcando outro pênalti. Houve reclamação e muita ironia dos atletas visitantes. Grafite pegou a bola, mas não reclamou quando Rogério Ceni a tomou para bater ele o pênalti, aos 28. Ele chutou forte e fez o gol da vitória. Leão, que na temporada passada cansou de reclamar que os árbitros não marcavam pênaltis para sua equipe, teve hoje dois anotados em favor do Tricolor.O Rio Branco teve depois duas chances boas de empatar, ambas com Lê. Mas o atacante desperdiçou as duas, com chutes para fora.O Tricolor se prepara agora para encarar o Quilmes na Libertadores, em jogo na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.