São Paulo vence fácil a Ponte Preta

São Paulo e Ponte Preta, mais uma vez, fizeram um jogo com muitos gols. Bom para o Tricolor, que goleou neste Domingo a equipe de Campinas por 4 a 1, no Morumbi, e se aproximou da liderança do Torneio Rio-São Paulo, agora com 14 pontos. O Palmeiras é o líder isolado com 16. Já a Ponte, que até o início da rodada, dividia o primeiro lugar, caiu para sexto, com os mesmos 13 pontos. O time do Morumbi volta ao campo na quarta-feira, em Teresina, para enfrentar o Flamengo (PI) pela Copa do Brasil.Na véspera, o técnico da Ponte Preta, Osvaldo Alvarez, o Vadão, já havia demonstrado a tendência de abrir mão do estilo ofensivo que levou sua equipe à liderança do campeonato. Sua argumentação era de que para enfrentar o time com melhor ataque (somados os quatro de ontem, o São Paulo chegou a 22 em sete partidas), fora de casa, seria necessário privilegiar a defesa para tentar surpreender nos contra-ataques.No entanto, na prática o treinador campineiro, com a escalação de três atacantes, conseguiu apenas anular seu meio-campo e, conseqüentemente, o ataque. Washington teve de recuar para buscar o jogo. Sem habilidade para isso, ele não conseguiu fazer a ligação com Lucas e Jean. Com mais atletas no setor, o São Paulo dominou a armação das jogadas. Já a defesa não foi nem sombra daquilo que Vadão esperava. A prova disso foram os três gols são-paulinos no primeiro tempo. Em todos eles, a equipe do Morumbi contou com falhas do adversário. No primeiro gol, aos 9 minutos, os ponte-pretanos se complicaram pelo lado direito. Bom para França, que ficou com a bola, tocou para Gustavo Nery que chutou forte para o meio da área. Kaká, sem marcação, só tocou para o gol. Outra deficiência dos visitantes foi constatada nas jogadas pelo alto. Quem se aproveitou disso foi Reinaldo. Sem marcação, ele marcou dois de cabeça. O primeiro aos 16, após cruzamento de Souza pelo lado direito do ataque. Três minutos depois, uma jogada parecida, só que pela esquerda, resultou no terceiro gol tricolor.A fácil vantagem conquistada na primeira etapa fez com que o time de Nelsinho se acomodasse em campo. Do outro lado, Vadão tentou arrumar seu time com a entrada do meia Adrianinho no meio. A alternativa se mostrou eficiente e, aos 16, o próprio Adrianinho chutou forte. No caminho, Alex Oliveira desviou e bola para o gol de Rogério Ceni. Porém, aos 42, o jovem lateral-direito Gabriel, que ganhou notoriedade primeiro por ser filho do ex-jogador Wladimir e depois por ter deixado Belletti no banco, arriscou da entrada da área. A bola desviou na zaga campineira e entrou no canto direito de Ronaldo, fechando a goleada são-paulina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.