São Paulo vence, mas Fla é o campeão

O São Paulo lutou, disputou uma boa partida e venceu o Flamengo por 3 a 2 hoje à noite no Estádio Rei Pelé, mas não foi suficiente. O resultado deu ao Flamengo o título da Copa dos Campeões e garantiu ao time ? que vencera a primeira partida final, em João Pessoa, por 5 a 3 ? a segunda das quatro vagas destinadas ao Brasil na Taça Libertadores da América de 2002. Ao final da partida, a torcida gritou os nomes de Zagallo e de Edílson, dois heróis do título, que o time ganhou de forma invicta. O técnico Nelsinho Baptista, do São Paulo, chamou o árbitro Márcio Rezende de Freitas de ?safado?. Freitas expulsou de campo os jogadores Luís Fabiano e Fabiano. Na Libertadores, o Flamengo fará companhia ao Grêmio, primeiro classificado ao conquistar o título da Copa do Brasil. Outras duas vagas estão reservadas ao campeão e ao vice do Campeonato Brasileiro. O São Paulo foi para o vestiário no intervalo sonhando com o título. O time começou a partida pressionando o Flamengo e criou boas chances de gol, mas os contra-ataques do adversário eram sempre perigosos porque contavam com a habilidade de Beto, Petkovic, Reinaldo e Beto. O gol que começou a dar esperanças ao São Paulo de descontar a vantagem do Flamengo foi marcado por Kaká, aos 39 minutos. E foi um golaço. O jovem meia do São Paulo recebeu passe de França na entrada da área, driblou o experiente Gamarra, levantou a cabeça e tocou no ângulo esquerdo, longe do alcance do goleiro Júlio César. A vantagem do São Paulo esfriou o ânimo dos torcedores do Flamengo, maioria no Estádio Rei Pelé. "Esse gol não adianta nada. Temos de fazer mais um para levar a decisão para os pênaltis", lembrou Kaká. O time nem teve tempo de pressionar o adversário no segundo tempo. A estrela de Petkovic começou a brilhar com 1 minuto de jogo. Numa cobrança de falta pela direita, o sérvio colocou a bola na cabeça do zagueiro Juan, que empatou o jogo. Aos 13, em cobrança de falta próximo à grande área, Petkovic colocou a bola no ângulo esquerdo de Rogério Ceni. Para piorar as coisas, Luís Fabiano desentendeu-se com Petkovic e foi expulso de campo aos 14 minutos. A torcida alagoana ensaiava um coro de "olé" quando, aos 18, Juan derrubou Júlio Baptista, que entrara no lugar de Fábio Simplício. França bateu no canto esquerdo e empatou o jogo. Com um jogador a menos, o time precisava fazer mais dois gols. Fez um, aos 43 minutos, num chute de França de fora da área. Mas era tarde. E Fabiano ainda foi expulso no último minuto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.