(Renato Pizzutto/ Ag. Paulistão)
(Renato Pizzutto/ Ag. Paulistão)

São Paulo derrota o Botafogo e agora 'seca' o Corinthians pela 2ª posição geral do Paulistão

Luciano brilha no fim do jogo e garante vitória são-paulina sobre equipe de Ribeirão Preto no estádio do Morumbi

Gonçalo Jr, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2022 | 18h10

Com um gol de Luciano aos 40 minutos do segundo tempo, o São Paulo venceu o Botafogo de Ribeirão Preto por 2 a 1 neste sábado, no Morumbi, pela última rodada da fase de classificação do Grupo B do Paulistão. Foi uma vitória sofrida depois de o time ter desperdiçado várias chances, entre elas, um pênalti com Nikão. Embora a vaga nas quartas de final já estivesse garantida – o rival será o São Bernardo na terça-feira -, o resultado foi importante para as próximas fases.

Com 23 pontos, o São Paulo tem a segunda melhor campanha geral, o que garante teoricamente o mando de campo em uma eventual semifinal (considerando que todos avancem com vitórias). Para se manter nessa posição, o time do Morumbi tem de torcer contra o Corinthians, que tem 20 pontos e enfrenta neste domingo o Novorizontino fora de casa. O Palmeiras já confirmou a melhor campanha da primeira fase. Pelo regulamento do Paulistão, o jogo das quartas de final também contará para a classificação geral.

O treinador Rogério Ceni decidiu poupar para evitar lesões e correr menos riscos com os jogadores pendurados pelo acúmulo de cartões amarelos. Também testou soluções para os três desfalques que terá no mata-mata: o zagueiro Arboleda e o lateral João Moreira, convocados para o Equador e Portugal (sub-18), e o meia Gabriel Sara, machucado. Pelo que fez no sábado, Alisson ganhou pontos para entrar no meio-campo. Igor Gomes foi testado como primeiro volante no meio. Até o goleiro Thiago Couto, que está no elenco profissional desde 2020, fez sua estreia no time principal.

O jogo foi propício para experimentações. Mesmo com chances de classificação, o Botafogo procurou apenas se defender no primeiro tempo. O São Paulo foi dominante. Explorando bem os lados do campo, principalmente pela esquerda, com Patrick e Wellington, o time poderia ter feito mais gols.

Depois de encerrar na rodada passada um jejum de gols que vinha desde outubro do ano passado, o atacante Rigoni voltou a marcar aos 4 minutos. O argentino cruzou, ninguém encostou e a bola foi direto para o gol. Rigoni poderia ter confirmado a volta da boa fase, mas perdeu um gol incrível, praticamente sem goleiro, após passe de Calleri aos 35. O argentino falhou feio na finalização e perdeu um gol praticamente feito.

O domínio era tão amplo que três minutos antes do gol perdido, o time conseguiu uma sequência de finalizações com o mesmo Rigoni, Arboleda e Patrick. No segundo tempo, três mudanças deram novo impulso para o time da casa. Talles Costa entrou tão bem que sofreu um pênalti aos 16 minutos. Nikão bateu mal e desperdiçou a chance de abrir o placar.

Os gols fizeram falta. A incapacidade do São Paulo de definir o jogo, com Rigoni no primeiro tempo e Nikão na etapa final, colocou o Botafogo no jogo. Com uma marcação mais adiantada, a equipe incomodou. O clima no Morumbi também mudou. A torcida deixou de apoiar e passou a reclamar mais dos erros. Aos 18 minutos, o time de Ribeirão Preto teve a chance do empate. Bruno finalizou na trave, na saída do goleiro Thiago Couto. Dois minutos depois, o time do interior conseguiu o empate com um chute de longe do lateral Jean.

E de novo o São Paulo enfrentou dificuldades para enfrentar um time fechado na defesa, a exemplo de outros jogos da temporada. O gol do triunfo só saiu aos 40 após uma jogada bem tramada pela esquerda. Após finalização de Alisson, Luciano pegou o rebote, quase sem ângulo, e marcou seu primeiro gol na temporada.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 x 1 BOTAFOGO-SP

SÃO PAULO: Thiago Couto; Nathan (Talles Costa), Arboleda, Miranda e Wellington; João Moreira, Patrick (Luciano), Igor Gomes e Alisson; Calleri (Nikão) e Rigoni (Juan). Técnico: Rogério Ceni.

BOTAFOGO-SP: Deivity; Marlon (João Lucas), Joseph, Joaquim e Jean; Tárik, Fillipe Soutto, Emerson Santos e Bruno Michel; Matheus Carvalho (Thiago Reis) e Dudu (Mantuan). Técnico: Leandro Zago.

GOLS: Rigoni, a 4 minutos do primeiro tempo, Jean, aos 20 e Luciano, aos 40 do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS: Jean

PÚBLICO: 21.827

RENDA: R$ 645.566,00

ÁRBITRO: Thiago Luis Scarascati.

LOCAL: Morumbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.