São Paulo vence o Botafogo e fica perto do G-4 do Brasileirão

Vitória por 2 a 1 - terceira consecutiva - deixa a equipe a três pontos do líder do campeonato, o Flamengo

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

20 de julho de 2008 | 20h00

 J.F. Diorio/AE Rogério Ceni comemora seu gol; São Paulo engrena no Brasileirão e luta pelo tricampeonatoSÃO PAULO - O bom futebol apresentado diante do rival Palmeiras e do Vitória não reapareceu, mas o São Paulo arrancou uma vitória por 2 a 1 diante do Botafogo na noite deste domingo, no Morumbi, em partida válida pela 13.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A.Veja também: Classificação Calendário / Resultados  Rádio Eldorado/ESPN - AM 700 - ouça os gols Rogério Ceni já pensa na liderança do BrasileirãoCom a terceira vitória seguida na competição, a quarta em casa, o São Paulo chega aos 23 pontos, mas ainda não está no chamado G-4, uma vez que o Vitória venceu o Flamengo por 1 a 0, em pleno Maracanã, e reocupa a quarta posição. Já o Botafogo continua com 15 pontos, mantendo sua campanha irregular.A partida parecia que seria tranqüila para o São Paulo que, logo no primeiro minuto, quase abriu o placar com uma cabeçada de Hugo. O zagueiro André Luís tirou a bola em cima da linha do gol. Já aos oito, a torcida reclamou pênalti em Zé Luís, mas o árbitro mandou o lance seguir. Mesmo com desfalques, o São Paulo era melhor em campo e, aos 13, Jorge Wagner cobrou escanteio e Zé Luís cabeceou no travessão. Até então acuado, o Botafogo tratou de melhorar a marcação no meio-campo e, com liberdade para seus laterais, assustou o goleiro Rogério Ceni em duas oportunidades, sendo a segunda delas uma boa descida de Tiaguinho, que cortou seu marcador e tocou no canto direito do gol são-paulino, mas a bola foi para fora, aos 20.O domínio passara de mãos e o Botafogo era melhor, tocando a bola no meio-campo à espera de uma boa chance para marcar. Curiosamente, foi justamente em tal período que o São Paulo aproveitou para marcar seu primeiro gol. Aos 33, Jorge Wagner deu um belo toque para a entrada do garoto Alex Cazumba na área, que foi derrubado pelo goleiro Castillo, configurando-se no primeiro pênalti a favor do clube tricolor neste Brasileirão. Rogério Ceni cobrou com categoria, aos 34, e abriu o placar. São Paulo2Rogério Ceni; Eder, Alex Silva, André Dias     e Alex Cazumba (Juninho); Zé Luís, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Eder Luís (Aloísio) e Dagoberto (Jean)Técnico: Muricy Ramalho Botafogo1Castillo    ; Triguinho, Renato Silva, André Luís e Tiaguinho; Túlio (Carlos Alberto), Diguinho, Lúcio Flávio (Gil) e Zé Carlos (Lucas Silva); Jorge Henrique e Wellington PaulistaTécnico: Ney FrancoGols: Rogério Ceni, aos 34 minutos do primeiro tempo; Carlos Alberto, aos 32; Dagoberto, aos 43 minutos do segundo tempoÁrbitro: Leandro Vuaden (RS)Renda: R$ 333.510,00Público: 17.598 pagantesEstádio: Morumbi, em São PauloO gol são-paulino, no entanto, foi mera ilusão. Apesar de controlar o jogo nos primeiros minutos da segunda etapa, o clube paulista não soube impedir as descidas precisas dos laterais botafoguenses, além das modificações providenciais do técnico Ney Franco.Dentre tais modificações estava a de Carlos Alberto. Renegado pelo São Paulo no começo do ano, o meia entrou com liberdade para ajudar os atacantes Gil, Jorge Henrique e Wellington Paulista e, aos 32, tratou de igualar o placar com um chute de fora da área, que desviou em dois jogadores do São Paulo para enganar Rogério Ceni.Num ritmo frenético, o Botafogo passou a pressionar o São Paulo ainda mais, dando a entender que sairia do Morumbi com a vitória, o que não acontece desde 2000. A noite, no entanto, reservava ao torcedor tricolor uma grata surpresa. Aos 43 minutos, a defesa do Botafogo deixou Jorge Wagner receber pela esquerda e, com um belo cruzamento, o meia encontrou Dagoberto livre para cabecear e marcar o gol da vitória. "Era importante a gente vencer hoje, pois queria deixar o São Paulo [apresenta-se à seleção olímpica, juntamente com Alex Silva, no dia 22] o mais perto possível da primeira colocação antes de ir para a seleção", disse o volante Hernanes. Dito e feito. A diferença para o líder Flamengo é de apenas três pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.