Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

São Paulo vence o Corinthians no Morumbi, encerra série de empates e reage no Brasileirão

Time de Ceni encarou clássico como final de campeonato e foi superior ao rival diante de mais de 20 mil torcedores

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2021 | 22h01

O São Paulo entusiasmou seu torcedor no Morumbi ao jogar bem, ganhar do Corinthians por 1 a 0 na noite desta segunda-feira e enfim encerrar a série de seis empates no Brasileirão. No segundo jogo sob o comando de Rogério Ceni, o time tricolor encarou o clássico como uma final de campeonato diante de um rival em baixa rotação e foi recompensado pela postura no clássico que fechou a 27ª rodada. Calleri marcou no incío do primeiro tempo o gol do triunfo. Os 23 mil torcedores que foram à casa são-paulina vibraram como nunca após o apito final. 

Ceni, técnico que comandava o São Paulo na última vez que o time foi derrotado pelo Corinthians no Morumbi, comemorou muito sua primeira vitória em sua segunda partida nesta nova experiência como treinador tricolor. A equipe não vencia há um mês. Nesta segunda, jogou bem, sobretudo no primeiro tempo, e dominou o rival em boa parte do clássico. Com os três pontos, passa a somar 34 e subiu para o 12º lugar. 

Mais do que abrir distância da zona de rebaixamento, o resultado é importante para dar confiança ao time tricolor, que vai encarar nas próximas seis rodadas cinco oponentes que estão neste momento nas sete primeiras colocações. O próximo desafio é contra o Red Bull Bragantino, domingo, às 18h15, em Bragança Paulista.

O Corinthians viu subir para oito jogos o período sem vitória sobre o São Paulo na casa do rival. Sylvinho não pôde escalar Fagner, suspenso, e Willian, machucado, e os desfalques fizeram falta para um time que demorou a acordar na partida. Levou perigo a Tiago Vopi em poucas ocasiões, principalmente no segundo tempo. Estagnou nos 40 pontos e termina a rodada ainda no sexto posto, mas com risco de perdê-lo para o Inter, que faz o seu jogo atrasado da 19ª rodada diante do Bragantino na quinta-feira.

O São Paulo foi premiado cedo pela postura que adotou no início. Muito mais ligado que o rival, o time de Rogério Ceni encurralou o Corinthians. Subiu a marcação e pressionou até marcar. Luciano balançou as redes aos dois minutos, mas estava milimetricamente impedido e o gol não valeu. Não fez falta. Aos seis, Reinaldo subiu ao ataque e cruzou rasteiro para Calleri, que se antecipou aos zagueiros e desviou para as redes. O argentino fez os torcedores, que compareceram em maior número em relação aos jogos anteriores, explodirem.

Depois de um péssimo início, em que pareceu encarar o clássico como disputa de um jogo sem importância, o Corinthians equilibrou a posse de bola, mas encontrou dificuldade para chegar ao gol do rival. Cantillo, Giuliano e Renato Augusto, responsáveis pela construção das jogadas, pouco produziram. Estiveram desconfortáveis diante da forte marcação que enfrentaram. O único lance de perigo foi uma enfiada de Renato Augusto para Giuliano, que não marcou graças à boa saída de Tiago Volpi.

O "novo" Igor Gomes quase ampliou para os anfitriões em bonito chute colocado que passou perto do gol. Um dos melhores em campo, o meia tem jogado mais recuado, perto de Liziero, por orientação de Ceni, que fez o bom futebol do jovem reaparecer. No fim da primeira etapa, o clima esquentou e quase sobrou vermelho para os dois lados após Lizero colocar a mão no rosto de Du Queiroz e João Victor empurrar o são-paulino. O árbitro Leandro Vuaden administrou a discussão com um amarelo para cada lado.

O panorama pouco mudou no segundo tempo. É certo que o São Paulo, em vantagem, diminuiu a pressão e preferiu esperar o Corinthians, que, porém, seguiu sem inspiração, lento e incapaz de incomodar os donos da casa. Reflexo disso é o que o primeiro chute corintiano na etapa final foi dado aos 26 minutos. Cantillo arrematou para fora, sem perigo para Volpi.

Os técnicos mexeram, Sylvinho colocou o Corinthians para frente ao lançar mão de Gustavo Mosquito e Jô, mas as alterações não surtiram efeito. Depois de muita apatia, Renato Augusto obrigou Volpi a trabalhar em cabeceio perigoso e Róger Guedes arriscou chute da entrada da área que o goleiro são-paulino defendeu com segurança. O time anfitrião respondeu com Luciano, que acertou a trave. Mais nada, porém, aconteceu de nenhum dos lados, e esse cenário foi bom negócio para o São Paulo, que pôde comemorar um triunfo depois de seis empates. Os 23 mil torcedores, especialmente, festejaram como nunca.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 0 CORINTHIANS

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Orejuela (Diego Costa), Arboleda, Léo e Reinaldo; Liziero, Igor Gomes, Gabriel Sara (Marquinhos) e Benítez (Gabriel Neves); Luciano (Rodrigo Nestor) e Calleri (Pablo). Técnico: Rogério Ceni.

CORINTHIANS - Cássio, Du Queiroz, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo (Jô), Renato Augusto e Giuliano; Gabriel Pereira (Gustavo Mantuan), Adson (Gustavo Mosquito) e Róger Guedes. Técnico: Sylvinho.

GOL - Calleri, aos seis minutos do primeiro tempo. 

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS)

CARTÕES AMARELOS - Liziero, João Victor, Arboleda, Gabriel Neves, Róger Guedes

PÚBLICO - 23.874 torcedores

RENDA - R$ 1.07.213,00.

LOCAL - Estádio do Morumbi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.