Sérgio Neves/AE
Sérgio Neves/AE

São Paulo vence o Once Caldas por 1 a 0 e se classifica na Libertadores

Apesar da primeira colocação no Grupo 2, o técnico Ricardo Gomes não escapou dos gritos de 'burro' da torcida

ANDRÉ AVELAR, estadão.com.br

21 de abril de 2010 | 23h44

Foram três partidas até o São Paulo enfim conseguir vencer o Once Caldas. O 1 a 0 suado desta quarta-feira, 21, garantiu o time na primeira colocação do Grupo 2 da Copa Libertadores. Mais do que isso, afastou temporariamente a ameaça de crise que rondava o Morumbi.

Veja também:

blog BATE-PRONTO: Filme começa a se repetir no Morumbi

tabela LIBERTADORES: Classificação

som Ouça os gols no Território Eldorado

O adversário das oitavas de final ainda depende da última rodada da competição, que acontece nesta quinta. Dos cinco brasileiros na disputa, Corinthians, São Paulo e Cruzeiro estão classificados. Flamengo e Internacional ainda precisam confirmar suas vagas.

 

A torcida da casa, que bem lembrou o quarto aniversário de morte do bicampeão mundial Telê Santana, não teve o mesmo tratamento com o atual comandante. Antes de a bola rolar, sobraram as vaias para Ricardo Gomes e durante a partida os gritos de "burro". O técnico chegou a ser contestado publicamente pelo atacante Washington, que amargou a reserva na eliminação para o Santos.

 

 SÃO PAULO1
Rogério Ceni; Cicinho, Alex Silva, Miranda, Richarlyson    ; Rodrigo Souto, Jorge Wagner     (Washington), Hernanes (Cléber Santana), Marlos; Dagoberto e Fernandinho (Jean)
Técnico: Ricardo Gomes
 ONCE CALDAS (COL)0
Martinez; Nuñez, Henriquez, Vizcarrondo, Velez; Arias, Valência, Perez (Cárdenas), Castrillón (Uribe); Santoya (Amaya) e Moreno    
Técnico: Juan Carlos Osório
Gols: Fernandinho, aos 40 minutos do primeiro tempo.

Árbitro: Diego Abal (ARG)

Renda: R$ 1.502.694

Público: 50.461 pagantes

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

TRIO OFENSIVO

Apesar dos protestos, o São Paulo com mais velocidade armado por Ricardo Gomes deu certo. Marlos, Fernandinho e Dagoberto envolviam a zaga adversária, mas desperdiçavam as chances criadas. Em resumo: com mais um meia, faltava um centroavante. Com um centroavante, faltava mais um meia.

 

Carrasco de outras Libertadores, o Once Caldas então partia para o jogo. Os atacantes Santoya e Moreno começavam a dar trabalho para desespero do goleiro Rogério Ceni. Além disso, o time começou a sofrer na saída de bola.

 

Mas o trio de ataque justificou sua escalação aos 40 minutos do primeiro tempo. Dagoberto lançou Marlos na área, ele se livrou do marcador e tocou para Fernandinho estufar as redes. O atacante não marcava desde sua estreia em 28 de fevereiro, quando marcou logo quatro gols.

 

"Marlos, Dagoberto e Fernando são muito rápidos e a gente conseguiu marcar um gol no final. Mas erramos bastante, é verdade", disse o meio-campo Hernanes, na saída para o intervalo.

 

PROTESTOS

Na volta para o segundo tempo, a equipe claramente tirou o pé e aceitou a pressão dos colombianos. Rogério Ceni teve que intervir e fazer pelo menos duas grandes defesas, além de contar com a trave.

 

A paciência dos 50.461 são-paulinos com o técnico acabou quando ele sacou Fernandinho do time para colocar o volante Jean. Não teve jeito. "Burro burro", protestou a torcida. Ricardo Gomes tentou se redimir e colocou Washington na vaga de Jorge Wagner.

 

Washington não conseguiu mudar o panorama do jogo. O São Paulo continuou sofrendo pressão, sem criar oportunidades de gol. Implorou pelo apito final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.