São Paulo vence Rio Branco com gol nos acréscimos

O desgaste da Copa Libertadores se abateu sobre o São Paulo. Ainda assim, o time fez o suficiente para vencer o Rio Branco por 2 a 1 neste domingo, no Morumbi, pela 14.ª rodada do Campeonato Paulista, e reassumir a terceira posição, com 27 pontos.

ANDRÉ AVELAR, Agencia Estado

14 de março de 2010 | 19h29

O time de Americana, o pior ataque e na zona do rebaixamento, com 11 pontos, entrou disposto a se defender. Mas a tática durou apenas 11 minutos. Diante de uma zaga bem montada, Léo Lima usou a categoria e, com um passe de letra, deixou Jorge Wagner na cara do gol. O meio-campo só teve o trabalho de deslocar do goleiro para abrir o placar. Foi o primeiro gol dele na temporada.

"Foi para desencantar. Sempre que jogo perto do gol consigo me sair bem, trabalhar com os atacantes. As oportunidades aparecem e temos que aproveitar, mas 1 a 0 é um placar perigoso", disse Jorge Wagner na saída para o intervalo.

O gol no início era tudo o que o São Paulo queria. Com a vantagem, o time passou a se defender com cautela, sem sofrer grandes perigos. A calmaria refletiu até mesmo nos velozes Fernandinho e Dagoberto. Pelos lados do campo, a dupla sentia a falta de um centroavante - Washington foi poupado, assim como Cicinho, Alex Silva, Marcelinho Paraíba e Hernanes - e pouco produzia.

Perto do fim do primeiro tempo, a chuva apertou. O time da casa tirou ainda mais o pé e só levou perigo nos chutes de fora da área de Thiago Carleto. O Rio Branco teve uma chance com Júlio César, que chegou a assustar Rogério Ceni.

Na volta para a etapa final, a luz elétrica do Morumbi caiu. O jogo ficou paralisado por três minutos e voltou com parte dos refletores apagados, após o árbitro Salvio Spinola Fagundes Filho consultar os goleiros. A situação se normalizou apenas aos 20 minutos.

O time também seguiu apagado. A torcida que bravamente encarou a chuva só se animou quando Rogério Ceni saiu para cobrar uma falta. A expectativa, no entanto, foi pelo ralo - o goleiro rolou a bola para Jean chutar na barreira.

O marasmo do São Paulo empolgou o Rio Branco. E aos 37 minutos, Ricardinho cruzou e Márcio Carioca, sem marcação, cabeceou para empatar a partida. Mas a reação não demorou. Hernanes, que havia acabado de entrar, cruzou na medida para André Luís cabecear e decretar a vitória aos 46.

Agora, o time do técnico Ricardo Gomes concentra suas forças na Copa Libertadores. Na quinta-feira, tem o jogo de volta contra o Nacional (PAR), no Morumbi. Pelo Campeonato Paulista, só volta a campo no domingo, quando recebe o Mogi Mirim. Já o Rio Branco vai a Rio Claro enfrentar o time da casa, no sábado.

Ficha Técnica

São Paulo 2 x 1 Rio Branco

São Paulo - Rogério Ceni; Jean, Miranda, André Luis e Carleto; Rodrigo Souto, Cleber Santana, Léo Lima (Hernanes) e Jorge Wagner (Henrique); Dagoberto (Marlos) e Fernandinho. Técnico - Ricardo Gomes.

Rio Branco - Cristiano; Fábio Baiano, Airton, Kleber e Maurim; Márcio Carioca, Everton, César (Índio) e Romário (Ricardinho); Felipe (Alex Terra) e Jobinho. Técnico - Giba.

Gols - Jorge Wagner, aos 11 minutos do primeiro tempo; Márcio Carioca, aos 36, e André Luis, aos 46 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Salvio Spinola Fagundes Filho.

Cartões amarelos - Kleber, Everton, Fernandinho, Carleto e Miranda.

Renda - não divulgada.

Público - não divulgado.

Local - estádio Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.