São Paulo vira, derrota o Botafogo e ameaça o Cruzeiro

São Paulo vira, derrota o Botafogo e ameaça o Cruzeiro

Equipe de Muricy Ramalho garante vitória por 4 a 2 contra cariocas com gols de Souza, um de Alexandre Pato e um de Alan Kardec

Demetrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

11 Setembro 2014 | 00h06

Se depender do São Paulo, a disputa pelo título do Campeonato Brasileiro ainda não acabou. Nesta quarta-feira, o time de Muricy Ramalho fez uma grande partida ofensiva contra o Botafogo num ótimo 4 a 2 em Brasília, onde o time carioca escolheu mandar a partida válida pela primeira rodada do returno, e mostrou que tem fôlego para brigar contra o Cruzeiro.

Kardec fez 1 a 0, o Botafogo virou em duas jogadas de escanteio - ponto fraco do time tricolor -, mas o São Paulo voltou à frente com dois de Souza. No comecinho do segundo tempo, Airton pisou na cabeça de Pato e foi expulso. Com um a mais, o São Paulo deitou o rolou, mas só fez mais um.

Com o resultado, cai para quatro a distância para o Cruzeiro (43 a 39), que nesta quinta joga contra o Bahia em Belo Horizonte. No domingo, os dois pleiteantes ao título brasileiro se enfrentam no Morumbi. Kaká, Denilson e Toloi, que estavam pendurados, passaram ilesos.

Já o Botafogo, que jogou sem Emerson, que está internado com amidalite, segue com 22 pontos, o 14.º lugar, a dois do Coritiba, o primeiro time dentro da zona de rebaixamento. No domingo, o rival é o Inter, em Porto Alegre.

O JOGO - Não demorou para o torcedor perceber que o jogo seria aberto. Afinal, o São Paulo tinha dois alas ofensivos e, ao mesmo tempo que crescia ofensivamente, ficava mais exposto na defesa. Até sair o primeiro gol, aos 7 minutos, cada time teve uma chance. Rogério bloqueou Zeballos logo a 1 minuto e Kardec completou sem força ótima jogada de Ganso, aos 4.

O placar foi aberto numa jogada pela esquerda do ataque tricolor. Com Alvaro Pereira na seleção uruguaia, Michel Bastos foi escalado como lateral, com espaço para atacar. Ao limpar Gabriel, ele teve Kaká, Pato e Kardec para passar. Escolheu Alan Kardec, que fez 1 a 0.

O São Paulo seguiu mandando no jogo até os 18 minutos, quando Gabriel arriscou de longe e Rogério Ceni defendeu para escanteio. Na cobrança, Denilson não marcou, Zeballos cabeceou, o goleiro deu rebote, e o atacante fez na sobra.

Foram três escanteios na sequência e dois gols. A virada veio aos 20, com André Bahia. Desta vez, foi Rafael Toloi quem errou. O 2 a 1 caiu como balde de água fria para o São Paulo, que acusou o golpe. Só que o Botafogo não se contentou e seguiu atacando. Assim, dava espaço para o bom ataque tricolor agir.

Aos 36, o empate. A jogada foi pela esquerda. De Michel Bastos para Pato, que invadiu a área e chutou. Andrey, substituto de Jefferson, deu rebote para o meio da área e Souza aproveitou. O caminho para a virada foi o mesmo: pela esquerda. Desta vez Pato cruzou, Souza dominou e fuzilou o goleiro, que chegou a tocar na bola mas não evitou o terceiro gol tricolor.

O movimentado primeiro tempo ainda teve a chance de mais um empate, mas Wallyson perdeu sozinho na cara de Rogério Ceni. O goleiro, talvez na sua melhor apresentação do ano, salvaria o São Paulo novamente aos 2 minutos do segundo tempo, parando de novo Wallyson, desta vez numa jogada mano a mano.

O equilíbrio foi desfeito no minuto seguinte, quando Airton pisou de propósito na nuca de Alexandre Pato e foi corretamente expulso. Se o São Paulo já atuava bem ofensivamente, com um a mais em campo passou a ter um absoluto domínio da posse de bola, sem nenhum medo de jogar no ataque.

As chances, porém, iam sendo desperdiçadas. Muito bem no jogo, Michel Bastos deu ótimo cruzamento para Kardec, que tentou de voadora e mandou par afora. Depois, quando o centroavante pegou de jeito na bola, Andrey fez ótima defesa. Na melhor jogada coletiva do time, a bola cruzou a pequena área e não chegou a tempo para Pato.

Com 20 minutos, a sensação era de que o jogo estava ganho. O São Paulo ampliava suas estatísticas de passes certos e até descansou Kaká, substituído por estar pendurado pelo terceiro amarelo. No lugar dele entrou Osvaldo, mais um atacante. A torcida apoiava gritando olé.

Quando o Botafogo deu pinta que podia ameaçar, num escanteio, o São Paulo matou o jogo no contra-ataque. Osvaldo carregou por todo o campo de ataque pela direita e rolou para Pato fazer o oitavo dele no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 4 SÃO PAULO

BOTAFOGO - Andrey; Gabriel, Bolívar, André Bahia e Júnior César (Sidney); Airton, Rodrigo Souto, Julio Cesar e Zeballos (Gegê); Wallyson e Ferreyra (Yuri Mamute). Técnico - Vagner Mancini.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Auro, Rafael Toloi, Edson Silva e Michel Bastos; Denilson (Hudson), Souza (Maicon), Ganso e Kaká (Osvaldo); Pato e Alan Kardec. Técnico - Muricy Ramalho.

GOL - Alan Kardec, aos 7, Zeballos, aos 19, André Bahia, aos 22, e Souza, aos 36 e aos 40 minutos do primeiro tempo; Pato, aos 35 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marielson Alves Silva (BA).

CARTÕES AMARELOS - Souza e Pato (São Paulo); Sidney (Botafogo).

CARTÃO VERMELHO - Airton (Botafogo).

RENDA - R$ 1.975.740,00.

PÚBLICO - 24.857 pagantes.

LOCAL - Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).
Mais conteúdo sobre:
futebol São Paulo FC Botafogo Brasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.