São Paulo: vitória para manter sonho

Para manter a doce ilusão de sercampeão brasileiro, o São Paulo precisa repetir a fama de mauvisitante e derrotar o Botafogo, às 18h10, no EstádioLuso-Brasileiro, no Rio. Os paulistas ganharam os três jogos quefizeram fora de casa no segundo turno da competição ? Paraná,Coritiba e Cruzeiro ? e só os três pontos mantém as remotaschances de brigar pelos primeiros lugares. "O título ainda émuito difícil, porque dificilmente os líderes vão ter uma quedade produção muito grande", afirma o técnico Paulo Autuori."Mas é uma ilusão positiva, que motiva os jogadores." Para facilitar a tarefa, está confirmada a volta deAmoroso, recuperado de lesão muscular. O atacante tem sido umdos destaques na fase de recuperação da equipe ? depois deameaçada pelo rebaixamento, venceu seis jogos consecutivos nocampeonato. Mas o lateral-direito Cicinho, suspenso, não atua. Omeia Hernanes, improvisado na posição, será seu substituto."Ele tem grande potencial, é ousado e tem qualidade", comentaAutuori, cuja opinião é a mesma do lateral-esquerdo Júnior."Apesar de não ser sua posição de origem, o Hernanes temtreinado muito bem, tem talento para a posição e é um jogadormuito promissor", disse. Júnior completa 600 jogos como profissional diante doBotafogo, e não espera outra coisa que não a vitória parafestejar a marca. "Precisamos errar poucos passes e terpaciência, porque o Botafogo vai vir para cima", alerta. Entreos jogos que não saem da memória, dois momentos distintos. "Omais feliz deles, a final da Libertadores contra o Atlético-PR" diz. "O que não gosto de lembrar é a final do MundialInterclubes, contra o Manchester (quando jogava noPalmeiras)." VERSATILIDADE - Além da maturidade do time, Autuoriconfia nos meias Souza e Danilo para derrotar o Botafogo. Otreinador não se cansa de elogiar a dupla, fundamental para oesquema tático. "No Brasil, os meias não podem se limitar acriar jogadas e correr prá frente: têm de aprender a seposicionar, para ajudar na marcação", receita Autuori. "OSouza e o Danilo têm assimilado muito bem esse conceito." Foi no Botafogo, rival deste domingo, que Souza viveusua pior fase. Em 1995, quando era dirigido por Paulo Autuori,acabou dispensado do clube. Mas muita coisa mudou em 10 anos."Meu crescimento físico foi fundamental para que eu rendessemais", diz Souza. "Felizmente, estou mantendo o nível que oAutuori exige."

Agencia Estado,

02 de outubro de 2005 | 10h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.