André Penner / AFP
André Penner / AFP

São Paulo volta a levar gol decisivo nos acréscimos em mata-mata: 'Não adianta achar monstro'

Fernando Diniz critica desatenção da equipe no primeiro tempo do jogo contra o Lanús

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2020 | 05h00

Pelo segundo mata-mata consecutivo, um gol nos acréscimos do duelo de volta altera o rumo da série envolvendo o São Paulo. Se o time ainda conseguiu avançar na disputa de pênaltis contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil, não houve jeito diante do Lanús. Na noite de quarta-feira, o gol de Orsini, aos 47 minutos do segundo tempo, eliminou a equipe na segunda fase da Copa Sul-Americana.

Ainda que a equipe paulista tenha triunfado por 4 a 3, o Lanús se classificou, pois havia triunfado por 3 a 2, se garantindo nas oitavas de final graças ao maior número de gols marcados como visitante. A repetição do cenário da série diante do Fortaleza na Copa do Brasil, quando o São Paulo cedeu a igualdade em 2 a 2, provocou questionamentos sobre a falta de maturidade do time.

Fernando Diniz se negou a dar uma opinião firme, afirmando não saber explicar o que leva o time a sofrer gols decisivos no final de partidas de mata-matas. Para ele, é difícil encontrar a razão para algumas oscilações do São Paulo sob o seu comando. "Não adianta tentar achar monstro", disse ao ser questionado sobre o assunto.

"Se foi por maturidade, é especular. Tem que ter uma certa humildade que tem coisa que não consegue explicar. A zaga estava postada (contra o Fortaleza), com os dez jogadores próximos da bola e tomamos o gol", acrescentou.

Para Diniz, mais do que o gol nos acréscimos, o fator decisivo para a eliminação do São Paulo foi o desempenho ruim no primeiro tempo, em que o time foi ao intervalo perdendo por 2 a 1. Na sua opinião, a equipe teria avançado com facilidade na Sul-Americana se o desempenho na etapa final tivesse acontecido na primeira metade do duelo.

"Não dá para saber porque entrou desligado, mas foi um primeiro tempo que não podíamos ter feito. Para hoje, tínhamos que fazer o que fizemos no segundo tempo, com mesma agressividade e entrega. Teríamos ganhado o jogo até com uma tranquilidade", acrescentou o treinador.

Fora da Sul-Americana, o São Paulo está nas quartas de final da Copa do Brasil e briga pelas primeiras posições do Brasileirão - é o quinto colocado, com três jogos a menos, e o time que menos perdeu pontos no torneio. Voltará a jogar no sábado, no Morumbi, diante do Goiás, pela 20ª rodada do Nacional. Nesta temporada, também no Morumbi, o time caiu nas quartas de final do Campeonato Paulista para o Mirassol. E ainda deixou a Libertadores na fase de grupos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.