Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

São Paulo volta a receber a Seleção

Três anos e cinco meses depois, a cidade de São Paulo voltará a ser palco de um jogo da seleção brasileira de futebol. O duelo contra a Bolívia, dia 5 de setembro, pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, deve ser realizado no Estádio do Morumbi. No início da tarde de hoje, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, foi homenageado na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF). Das mãos do presidente Marco Polo del Nero, ganhou uma medalha de cidadão gran benemérito da entidade. "Em todos estes anos à frente da CBF, este é o maior título que recebi. Será uma data inesquecível para mim", disse um emocionado Teixeira, que é inimigo confesso do ex-homem forte da FPF, Eduardo José Farah. No meio das comemorações, Teixeira recebeu um pedido formal do governador do estado, Geraldo Alckmin, que gostaria de receber a seleção na comemoração dos 450 anos da cidade. "Há uma grande possibilidade de um jogo ser aqui", revelou Teixeira, ainda deixando um ponto de interrogação no assunto. Após longa e descontraída conversa com Marco Polo Del Nero, a confirmação. "Está definido, Brasil x Bolívia, dia 5 de setembro será aqui", ponderou Del Nero. "Estamos apenas estudando o local," despistou, já que nos dois últimos jogos realizados no Morumbi houve muitas críticas contra o time e o então técnico Emerson Leão e cenas de vandalismo por parte dos torcedores. Na verdade, a confirmação da volta de São Paulo ao calendário da seleção é uma vitória da FPF em sua nova gestão. "Temos de tirar proveito e buscar o anseio dos nossos aliados", disse Del Nero, sobre a nova fase vivida entre FPF e CBF. Ricardo Teixeira aproveitou o encontro para revelar seus planos em novas mudanças no futebol brasileiro. A principal deve ser a inclusão das equipes do País que disputam a Taça Libertadores na disputa da Copa do Brasil. "Esvaziamos a competição." E acabou, de uma vez por todas, com a polêmica sobre se a CBF deve, ou não, pagar o salário dos jogadores em atividade na seleção brasileira. "A CBF vai pagar os salários", garantiu. "Mas direito de imagens, não." Pedirá, ainda, que as leis de trabalho que regem os jogadores de futebol sejam diferenciadas. Mudança - Emerson está fora do amistoso contra a Irlanda, no próximo dia 18, em Dublin. O volante da Roma foi cortado pelo técnico Carlos Alberto Parreira por causa de uma contusão. Mario Brozzi, chefe da equipe médica do clube italiano informou aos dirigentes brasileiros que o jogador ainda se recupera de uma lesão no ombro direito - a mesma que o tirou do Mundial de 2002, na Ásia. Fábio Rochemback, do Sporting, de Portugal, será seu substituto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.