São Paulo x Corinthians: a discórdia

A vitória vale três pontos, mas São Paulo e Corinthians têm motivos bem distintos para ganhar o clássico desta segunda-feira, 20h30, no Morumbi. Líder do Campeonato Brasileiro com 66 pontos, o Corinthians terá caminho aberto para conquistar o título se superar o rival ? abriria nove pontos de vantagem sobre o Goiás. Já o São Paulo enxerga no duelo a chance de apagar a campanha irregular que vem fazendo na competição e ter tranqüilidade ? especialmente com os torcedores ? para voltar definitivamente as atenções para o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão.O técnico Antonio Lopes só vai definir a escalação do Corinthians na tarde desta segunda-feira, quando saberá das reais condições físicas de cada atleta. ?Tem gente que preocupa?, disse o treinador. Um deles é o atacante Tevez, que terminou o jogo com o Paraná, sábado, no Pacaembu, ?morto?. ?Ele tem um estilo de jogo que desgasta muito. Vamos ver como ele se apresenta amanhã?, afirmou Lopes.O fisiologista Renato Lotufo, responsável pela análise dos exames de demonstração de fadiga muscular e física dos jogadores, apontou que alguns atletas estão ?na zona de perigo?. ?Mas é preciso esperar mais 24 horas para se saber com exatidão a situação de cada um.?O zagueiro Marinho já advertiu que não quer ficar fora do clássico. ?É um jogo importante. Ninguém quer ficar de fora. O exame pode mostrar que o jogador pode estar cansado, mas o atleta vai querer jogar da mesma forma.?VONTADE - O atacante Nilmar, que fez sua estréia no Corinthians no jogo do dia 7 de setembro e marcou inclusive o primeiro gol da partida, não está incomodado com a seqüência de jogos. ?A vontade de vencer, de ganhar o título é maior que o cansaço.? Segundo o jogador, uma vitória nesta segunda à noite dará uma vantagem ao Corinthians na classificação bastante confortável.O técnico, que está invicto em oito jogos na direção do time do Parque São Jorge, disse não ter nenhum sentimento de revanche por ter perdido a final da Libertadores, quando trabalhava pelo Atlético-PR, para o São Paulo. ?Isso não existe no futebol. A disputa mais importante é sempre aquela que vem depois.? Até agora o São Paulo está inconformado com a repetição do jogo ? no primeiro duelo, dia 7 de setembro, o time do Morumbi venceu por 3 a 2. E a revolta é a maior motivação do time. ?O campeonato virou um circo e os torcedores que foram ao Morumbi vão ver os palhaços jogarem?, atacou o meia Souza. ?É palhaçada termos de refazer um jogo que já ganhamos.? Para o jogador, no entanto, o maior prejuízo é a maratona a que o time está sendo submetido. ?É uma vergonha jogar quatro vezes em dez dias. Espero que isso não aconteça mais.?O atacante Amoroso é o mais entusiasmado com a repetição do confronto. ?Queremos jogar bem e provar que merecemos aquela vitória?, disse. ?Só o Corinthians tem a perder nesse jogo, pois lutam para ser campeões. Por isso, vamos tentar adiar o título deles.?Outro motivo da revolta do São Paulo é a impossibilidade de escalar Cicinho, Lugano e Josué. Em compensação, o técnico Paulo Autuori terá a volta do lateral-esquerdo Júnior e do meia Souza, que cumpriram suspensão diante do Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.