Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

São Paulo x River Plate no Morumbi tem histórico de confusões

Histórico tem brigas com a polícia, pedras em ônibus e expulsões 

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de abril de 2016 | 07h00

A vinda do River Plate ao Morumbi para enfrentar o São Paulo nesta quarta-feira, pela Copa Libertadores, traz a lembrança de grandes confrontos no estádio, mas também de confusões dentro e fora de campo. Nas duas últimas visitas do clube argentino, foram dois episódios marcados por brigas, que tiveram de envolver até mesmo a ação da polícia.

Em 2003 as equipes se encontraram pela semifinal da Copa Sul-Americana. O jogo, válido pelo confronto de volta, foi bastante brigado. A vitória do São Paulo por 2 a 0 levou a decisão para os pênaltis. Tão logo soou o apito final, os times se envolveram em uma pancadaria. Os jogadores das duas equipes se agrediram e no momento mais marcante, o atacante Luis Fabiano tentou dar uma voadora no argentino.

O são-paulino acabou expulso e na saída de campo desabafou: "Entre brigar e bater pênalti, prefiro ajudar na briga". Policiais tiveram de apartar a confusão. Sem o atacante, a equipe do Morumbi perdeu nas cobranças por 4 a 2. O River Plate avançou à final e perdeu o título para o Cienciano, do Peru.

Dois anos depois o São Paulo levou a melhor em novo confronto com os argentinos. Era o jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores. No Morumbi, antes de fazer 2 a 0, o time da casa viu uma série de atos agressivos contra os visitantes. O primeiro deles teve o alvo o ônibus que trazia a equipe do River Plate para o estádio.

Torcedores do São Paulo atiraram pedras no veículo, que teve os vidros quebrados. A tensão continuou no lado de dentro do Morumbi, onde seguidores da equipe argentina tentavam pendurar faixas nos setores onde estádio, algo proibido pela polícia. A confusão aumentou quando policiais tentaram retirar os adereços, mas foram recebidos com violência.

Os argentinos retiram pedaços de madeira das antigas cadeiras do Morumbi e usaram para bater nos policiais. Uma das cenas marcantes foi quando um torcedor do River Plate apareceu usando um capacete que pertencia aos soldados da Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.