Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Satisfeito com evolução do Corinthians, Sylvinho não descarta ser mais ofensivo

Equipe alvinegra alcança seu quinto jogo de invencibilidade no Campeonato Brasileiro

Redação, Estadão Conteúdo

04 de julho de 2021 | 09h56

O torcedor corintiano ainda não se empolgou com o Corinthians de Sylvinho. Afinal de contas, são somente duas vitórias em nove rodadas do Brasileirão. Contudo, o técnico vê evolução da equipe, apesar dos tantos empates, e não descarta utilizar uma equipe mais ofensiva em determinados jogos.

"Não sou partidário da ideia de que alguns sistemas não podem ser utilizados. Claro que podem, dependendo da circunstância do jogo, do momento, da competição. É sempre bom, desde que se potencialize o time. Muitas vezes, você coloca peças ofensivas, perde o meio campo, deixa fraco, e ai você não consegue nem atacar, e fica mais vulnerável defensivamente. É complexo. Tem que potencializar, mas sempre que for necessário vamos fazer", afirmou o treinador.

Sylvinho deixou claro que é possível ver Gustavo Silva e Marquinhos, dois pontas ofensivos, atuando lado a lado. Em sua visão, o Corinthians cresceu diante do Inter quando a escalação era mais ofensiva, apesar de Gustavo ser um dos substituídos. Mateus Vital fazia uma das beiradas do campo.

"Claro que podem (jogar juntos). É um sistema, conexão complexa, time de futebol. As peças se completam, e parte desse trabalho é nossa também. A resposta também vem deles, que buscam em campo", afirmou. "Outros atletas também podem jogar juntos, vamos vendo de acordo com o jogo, mas volto a repetir, nunca gostei dessa ideia de que atletas não podem jogar juntos".

Marquinhos vem entrando bem nas partidas, mas normalmente na vaga de Gustavo Silva. Como a necessidade por vitórias aumenta com os seguidos deslizes, Sylvinho já começa a soltar mais o time. Antes, Luan era o homem mais avançado. Mosquito entrou e Jô também ganhou chance e já se destaca, para alegria do treinador.

"Mérito é dele. Como eu disse no início do trabalho, colocamos ideias, conceitos, preparamos, mas eles respondem, os mais jovens e os mais velhos. O Jô está se reciclando, teve a situação dele e tem condições de jogar em alto nível. Jogar e ajudar. Ele tem se empenhado, se dedicado, entendido esse momento, e que bom para nós", elogiou.

E aproveitou para fazer uma análise positiva dos 35 dias de trabalho no Corinthians. Mesmo com cinco empates em nove rodadas, Sylvinho vem gostando do que vê.

"Sim, a gente enxerga melhoras. São 35 dias trabalhando, vejo os atletas assimilando ideias, ideias simples de futebol. Eles têm entendido o que queremos, nossos conceitos", disse. "Os atletas respondem bem, mudamos sistema, atletas com mais de uma posição. As alterações foram potencializadas e tentamos tirar proveito disso. São dois empates, dois jogos difíceis, mas a sensação é de que nós tínhamos a condição de sair com a vitória."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.