Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Satisfeito com 'qualidade', Sylvinho pode manter Corinthians sem volante marcador

Sylvinho acena com a possibilidade real de novas oportunidades a Cantillo e ainda conta com Renato Augusto ganhando ritmo

Redação, Estadão Conteúdo

03 de outubro de 2021 | 09h40

Cantillo pode ganhar mais chances entre os titulares do Corinthians. Depois de perder a posição e ficar ausente em algumas partidas, o colombiano acabou retornando para "quebrar galho" com suspensão de Gabriel. Foi tão bem contra Palmeiras e Red Bull Bragantino, aumentando a qualidade em campo, que Sylvinho já estuda a manutenção do esquema sem um volante de marcador.

Por justiça, Gabriel voltaria ao time titular diante do Bahia, terça-feira, após cumprir a suspensão. Treinadores costumam não sacrificar atletas que ficam ausente por suspensão. Mas o volante pode se tornar uma rara exceção. Mesmo carregando respeito e admiração dos corintianos, há uma campanha pela manutenção do atual time, ignorando uma possível volta do camisa 5.

E até mesmo Sylvinho parece se render que não há motivos para mexer na escalação após o reencontro do Corinthians com o jogo de imposição e bonito. Na terça-feira, não será estranho se Cantillo começar o embate na Neo Química Arena e Gabriel figurar na reserva.

"O futebol tem uma referência de décadas que o primeiro volante é marcador, mas a evolução em outros cenários mostra que o primeiro volante tem se convertido naquilo que é um meio-campista com qualidade, que faz com que a bola saia com maior qualidade", afirma Sylvinho, sem poupar elogios a Cantillo. "Ele fez bem isso. Foi o segundo jogo, os atletas demoram dois ou três jogos para entrarem em uma dinâmica."

Ao citar o número de partidas de adaptação, Sylvinho acena com a possibilidade real de novas oportunidades a Cantillo. E ainda conta com Renato Augusto ganhando ritmo também e disposto a revezar na posição com o colombiano, como no fim do empate por 2 a 2 com o Bragantino.

"O Renato tem a condição de fazer a função que terminou o jogo nos últimos 20 minutos, mais atrás. Optamos por ele para fazer a função do Cantillo para ter o time um pouco mais ofensivo. Ele faz parte desses atletas que estão qualificando nosso grupo, mas vai precisar dos jogos e minutos para se adaptar. Fez os 90 minutos, estou feliz demais por ele, porque agrega muito a esse grupo."

Como deve encarar um Bahia mais fechado em campo na Neo Química Arena e tem a necessidade da vitória, o novo Corinthians parece disposto a jogar mais para a frente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.