Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Satisfeito, Leão sai calmo da Vila Belmiro

Foi uma goleada para ninguém botar defeito e até mesmo o exigente técnico Leão ficou satisfeito e relevou os três gols tomados. "É difícil agradar os jornalistas. Marcamos oito gols, ganhamos três pontos e estamos em primeiro lugar; não tem o que falar". Para ele, os gols sofridos são conseqüência do estilo de jogo ofensivo do Santos."Quem se expõe para fazer muitos gols pode levar também".Leão acabou confidenciando que deu uma bronca em Basílio no intervalo. O atacante estava em boa posição para marcar, mas deu a bola para Robgol tentar fazer seu primeiro gol com a camisa do Santos. "Ele tomou bronca porque o Robgol não estava precisando desse tipo de ajuda", disse o treinador, que deve manter o centroavante. "Não gosto daquele jogador que encosta e vamos segurando aquele que se esforça, mesmo não estando num momento feliz". Basílio confirmou: "ele disse que era para eu ter chutado, que o gol do Robgol ia sair naturalmente porque ele tem capacidade para isso e não precisava daquela ajuda".Já Robgol estava emocionado com o gol, de pênalti. "Tive a oportunidade e a tranqüilidade para fazer. Espero que seja o primeiro de uma longa série". Ele agradeceu o apoio dos companheiros e da torcida. Os outros jogadores também estavam satisfeitos com o fim do longo período sem gols. "Ele fez por merecer e o Robinho deu a bola para ele cobrar o pênalti, que foi transformado em gol", disse o lateral-esquerdo Léo.Basílio, que marcou dois gols, será mantido como titular no jogo de quarta-feira contra o Guarani, do Paraguai, já que Elano não terá tempo para se recuperar. Leão comentou a diferença entre os dois. "O Elano é um jogador extremamente importante do ponto de vista tático, enquanto o Basílio é um definidor". Não descartou a possibilidade de os dois atuarem juntos, lembrando que não tem um segundo centroavante e está trabalhando com Basílio e Lopes para eventualmente desempenharem essa função, como fez com Fabiano no ano passado.Satisfeito também estava Renato, que marcou o oitavo gol e acabou revelando que sua mulher, Lilian, estava grávida. Depois do gol ele colocou a bola sob a camisa, simulando uma barriga. Ele comentou que o casal soube esta semana da gravidez. "Ela fez os exames em São Paulo e está grávida há pouco mais de um mês".Gols - Se Leão não reclamou dos gols sofridos, os jogadores deixaram o campo lamentando. Para Renato, "houve vacilo, principalmente no terceiro gol em que deixamos a zaga aberta para o João Paulo, que é muito rápido. Precisamos corrigir, pois não podemos tomar esses gols".Léo também acha que faltou atenção. "Marcamos um pouco a bola e aquela que o João Paulo recebeu não podia ter passado. Agora, é preciso trabalhar para que não ocorra mais".Já Doni acha que esse foi o preço pago pelo time que sempre buscou o gol e marcou oito. "O Santos é muito forte, ofensivo e, nessa condição, pode levar contra-ataque". Não admitiu ter falhado nos gols sofridos. No de falta, "não deu tempo para chegar; quando cheguei, ela já estava dentro do gol".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.