Sauditas são proibidos de receber prêmio de cervejaria

Os jogadores da seleção da Arábia Saudita foram obrigados a não aceitar o prêmio de melhor em campo nas partidas da Copa do Mundo. O motivo: a peça é uma caneca alusiva ao patrocinador, a cervejaria Anheuser-Busch, fabricante da marca Budweiser. Eles alegam uma questão de princípios devido à religião."Os jogadores sauditas não aceitarão prêmio algum relacionado com produtores de bebidas alcoólicas", disse o porta-voz da federação saudita de futebol, Abdullah Al-Dabal, lembrando que os atletas da equipe são muçulmanos e sua religião os impede de consumir este tipo de produto.Al-Dabal disse que informou à Fifa a posição dos árabes e repassou a declaração do organismo, que disse compreender a situação. No primeiro jogo no Mundial não houve problemas, já que o escolhido foi Ziad Jaziri, da Tunísia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.