S.Caetano quer ganhar a Libertadores

A temporada de 2002 promete ser bastante diferente para os clubes do interior que vão disputar o Torneio Rio-São Paulo pela primeira vez. A melhor perspectiva é do São Caetano, vice-campeão brasileiro, e que sonha em alçar vôos mais altos abrindo espaço no mercado internacional. Fortalecido com suas excelentes campanhas nos últimos dois anos e amparado por um forte grupo empresarial, o São Caetano quer fazer neste ano o que não conseguiu na temporada anterior: brigar pelo título da Taça Libertadores da América. As lições aprendidas em 2001 serão usadas em 2002. Esta é a promessa da diretoria. "Temos que manter um elenco forte, com opções para a comissão técnica??, explica o presidente Nairo Ferreira.O discurso já foi trocado por ações rápidas, já que em 2002, o time disputa no primeiro semestre o Rio-São Paulo e a Libertadores e, no segundo semestre, o Campeonato Brasileiro. Ao contrário do ano passado, quando São Caetano perdeu vários jogadores importantes, como Adhemar, Claudecir e César, agora a diretoria segurou a mesma base. Perdeu o atacante Magrão e o lateral Mancini, devolvidos a seus times de origem, espectivamente, Botafogo (RJ) e Atlético (MG), mas já terminou o ano contratando. Em dezembro, comprou Anaílson, revelação no Brasileiro, do Rio Branco de Americana por R$ 5,6 milhões. Nesta semana confirmou a contratação do atacante Somália, do América-MG, do lateral-direito Russo (Santos); do meio-campista Marcos Senna (Juventude-RS); e do meia Marco Aurélio (Ponte Preta). Nesta segunda-feira quando o elenco se apresentar no Estádio Anacleto Campanella, o técnico Jair Picerni poderá ter outras duas ou três novidades, entre elas o volante Bruno Quadros. O jovem e organizado São Caetano está pronto para fazer em 2002 temporada ainda melhor do que a de 2001.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2002 | 16h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.