Nilton Fukuda/ Estadão
Nilton Fukuda/ Estadão

Scaloni promete Argentina com força máxima e sai em defesa de Messi: 'Sempre joga bem'

Técnico diz que os críticos do camisa 10 estão mal acostumados pois esperam que ele sempre tenha atuações 'extraterrestres'

João Prata, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2019 | 20h18

A Argentina deve ter força máxima na partida contra o Chile neste sábado, na Arena Corinthians, na decisão pelo terceiro lugar da Copa América. O técnico Lionel Scaloni disse que levará a campo o que tem de melhor para "encerrar o torneio da melhor forma".

"A gente vai colocar quem achamos melhor para o jogo", disse. "Todos estão motivados. Todos querem terminar da melhor forma. Não é a mesma coisa ser terceiro e ser quarto. A vitória é importante para mostrar que o rumo, do ponto de vista esportivo, é este", complementou.

Para a partida, o treinador não poderá contar com o meia Acuña e o atacante Lautaro Martínez, suspensos pelo acúmulo de cartão amarelo. Lo Celso e Dybala devem ser os substitutos, respectivamente. Messi não deverá ser poupado. O craque do Barcelona trabalhou normalmente com o restante do elenco nesta sexta-feira no estádio do Pacaembu. Somente os 15 minutos iniciais puderam ser acompanhados pelos jornalistas.

Scaloni fez uma análise sobre seu camisa 10 e considerou injustas as críticas feitas ao jogador. "Do meu ponto de vista ele sempre jogou bem. É que a gente está acostumado a ver ele fazer coisas de outro planeta. Quando faz um jogo bom parece que não é o suficiente. Algumas vezes o time tem de se sobrepor. Nisso vi que o grupo também amadureceu", disse. 

Para ele, Lo Celso, De Paul e Paredes foram exemplos de atletas que chamaram a responsabilidade durante a competição. "Eles tem de tomar a iniciativa. Em algum momento eles perceberam isso, encararam o desafio e mostraram que podem ajudar a seleção", afirmou.

A escalação, no entanto, não foi confirmada. "Não vamos mudar muito porque estamos bem e queremos terminar da melhor forma. A gente acredita que vai bem amanhã. A questão é que a gente queria estar no jogo de domingo. Mas vamos ter de jogar outro jogo, que também é importante. Se jogar bem novamente e continuar por esse caminho a gente vai se dar bem", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.