EFE/Fernando Bizerra
EFE/Fernando Bizerra

Scarpa brilha, Palmeiras goleia e obtém recorde histórico na fase de grupos da Libertadores

Equipe alviverde atropela Deportivo Táchira no Allianz Parque e estabelece melhor campanha desta etapa do torneio continental

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2022 | 23h25

O Palmeiras de Abel Ferreira continua escrevendo sua história nas páginas da Libertadores. Atual bicampeão do torneio, o time alviverde consagrou nesta terça com uma nova goleada a melhor campanha e o melhor ataque da fase de grupos da competição em todos os tempos. Com a vitória por 4 a 1 sobre o Deportivo Táchira, da Venezuela (com três gols de Gustavo Scarpa), o time chegou aos 18 pontos em seis jogos no Grupo A, com 25 gols marcados – números que consagram a ótima fase da equipe.

A primeira colocação geral na primeira fase, além de entrar para a história, garante ao Palmeiras o direito de sempre decidir em casa os confrontos das próximas fases – apenas a final será disputada em jogo único, em Guayaquil, no Equador.

Em campo, o Palmeiras jogou sem Raphael Veiga, que testou positivo para covid-19, mas está assintomático – o meia deve voltar ao time domingo, no clássico com o Santos pelo Brasileirão. Danilo também ganhou um “descanso” e começou a partida no banco. Assim, “sobrou” para Gustavo Scarpa ser o melhor em campo – pela primeira vez na carreira ele marcou três gols em uma mesma partida.

O Alviverde resolveu rapidamente o primeiro tempo. Primeiro, aos 14 minutos, Gustavo Scarpa recebeu a bola pela direita e cruzou na área. Rony entrou na frente e atrapalhou o goleiro Varela, que levou um frango pelo meio das pernas – 1 a 0.

Aos 21, Rafael Navarro recebeu a bola pela esquerda, entrou na área e foi derrubado. Sem Veiga, Scarpa pegou a bola e não desapontou, bateu firme no canto direito para marcar o segundo gol do Alviverde.

Na segunda etapa, a defesa do Palmeiras falhou logo no início. Após escanteio, o zagueiro e capitão Gustavo Gómes não conseguiu afastar a bola e Gutiérrez diminuiu para o Deportivo Táchira.

O gol sofrido fez o Palmeiras voltar a jogar com mais atenção e aos 11 minutos o time chegou ao terceiro gol. Após boa jogada de Dudu pela direita, ele cruzou rasteiro, com força. O goleiro Varela rebateu a bola nos pés de Rony e a bola morreu no fundo do gol.

Abel Ferreira continuou mexendo no time e mandou a campo Vanderlan, Breno Lopes, Fabinho, Wesley e Jhonatan. E foi com Breno Lopes que o time chegou ao quarto gol. Ele foi derrubado na área por Restreppo, em mais um pênalti muito bem batido por Gustavo Scarpa.

Depois do quarto gol, o Palmeiras ainda atacou e perdeu boas chances – Dudu, Wesley e Breno Lopes tiveram suas chances, mas o goleiro Varela apareceu bem. No fim, a partida terminou mesmo com os 4 a 1, para a festa dos quase 30 mil palmeirenses que foram ao Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 x 1 DEPORTIVO TÁCHIRA

GOLS: Gustavo Scarpa, aos 14 e aos 21 do 1º tempo. Gutiérrez, aos 2, Rony, aos 11, Gustavo Scarpa, aos 22 do 2º Tempo.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómes, Murilo e Jorge (Vanderlan); Gabriel Menino (Fabinho), Zé Rafael e Gustavo Scarpa (Jhonatan); Dudu, Navarro (Wesley) e Rony (Breno Lopes). Técnico: Abel Ferreira.

DEPORTIVO TÁCHIRA: Varela; Camacho, Gutiérrez, Marrufo e Benítez (Restrepo); Flores, Cova, Colina e Figueroa (Jeizon Ramírez); Arace (Marlon Fernández) e Simisterra (Uribe). Técnico: Alexandre Pallarés. Árbitro: Kevin Ortega (PER).

AMARELOS: Benítez, Flores, Zé Rafael e Restrepo.

PÚBLICO: 29.032 pagantes.

RENDA: R$ 1.722.282,57.

LOCAL: Allianz Parque, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.