Schumacher divide a festa com Narciso

A festa era para Michael Schumacher, mas o piloto alemão teve que dividi-la com Narciso, o jogador que venceu a leucemia e retornou hoje à Vila Belmiro para um coletivo de luxo do Santos. Shumacher, que jogou os dois tempos e marcou um gol, não entendeu bem quando a juíza Silvia Regina de Oliveita marcou pênalti. Robinho pegou a bola e saiu correndo para o meio de campo para entregá-la a Narciso. E Narciso fez a cobrança, chutando no canto esquerdo, enquanto Fábio Costa pulava no lado oposto. Parecia um gol decisivo: a torcida comemorou muito, todos os jogadores saíram para abraçar Narciso e Schumacher até foi ao seu encontro, mas não o abraçou, não entendendo direito o motivo de tanta alegria. Era a festa para aquele que ficou conhecido como guerreiro quando era o volante titular do time e que teve de deixar o futebol por três anos, para cuidar da leucemia que o atingiu. "É uma felicidade muito grande poder voltar a fazer o que mais gosto, depois de tudo o que passei", disse Narciso, que está se preparando para disputar nos próximos trinta dias seu espaço no time titular. "Ainda falta condicionamento físico e preciso treinar muito os fundamentos, mas isso vem com o tempo e uma seqüência de jogos", disse ele, satisfeito com a liberação dada pelos médicos. O reeencontro com a bola nos treinamentos devolveu a ele a alegria completa. Nos primeiros tempos da leucemia, do transplante de medula e depois a luta para vencer a baixa resistência de seu sistema imunológico. "Primeiro, pensava na recuperação, em não morrer", comentou o jogador. "Era ruim ficar sem fazer nada e não via a hora de pegar a bola, pois você se diverte, conversa e brinca com ela". A alegria não era só de Narciso. O volante e capitão Paulo Almeida contou que, quando chegou na Vila Belmiro, se inspirava em Narciso."Ele era zagueiro, depois jogou como volante e terá sempre um lugar para ele no time", comentou. Segundo o capitão, todos os colegas estão apoiando Narciso nessa volta ao futebol. "O que todos mais querem é vê-lo diputando uma partida oficial e acho que isso vai acontecer logo". O meia Diego destacou a alegria do treino de hoje pelos significados que ele teve: a participação de Michael Schumacher, a doação da renda para o programa Criança Esperança e, principalmente, a volta de Narciso. Leão também elogiou seu jogador, que mostrou com sua luta pela vida que não é guerreiro apenas dentro de campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.